IPCA fecha 2007 em alta de 4,46%, próxima ao centro da meta

Inflação oficial do País sobe 1,3 ponto porcentual a mais que em 2006, pressionada pelos preços dos alimentos

Jacqueline Farid, da Agência Estado,

11 de janeiro de 2008 | 09h08

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)fechou 2007 com alta de 4,46%, segundo informações divulgadas nesta sexta-feira, 11, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O índice, o oficial do País, registrou variação muito próxima ao centro da meta estipulada pelo Conselho Monetário Nacional para o ano, de 4,5%, mas bem superior à taxa apurada em 2006, que foi de 3,14%.  Veja também:Entenda os principais índices  Os alimentos registraram alta de preços de 10,79% em 2007 e responderam por quase metade (2,21 ponto porcentual) da inflação do ano passado. O item carnes (22,15%) deu a maior contribuição individual (0,39 pp) para o IPCA do ano, seguido de leite e derivados (19,79%) e contribuição de 0,36 pp.  Segundo o documento de divulgação do IBGE, "o ano de 2007 teve como característica o forte arrefecimento dos preços administrados e monitorados, o que diferenciou de seus antecessores".  Os produtos não alimentícios subiram 2,83% no ano passado, sendo que a energia elétrica deu a principal contribuição negativa para o IPCA do ano, com queda de 6,16% nas tarifas. A variação dos não alimentícios em 2007 foi a menor apurada pelo IBGE desde 1998 (1,56%) e ficou bem abaixo da variação de 2006, que foi de 4,23%.  Dezembro Os preços dos produtos alimentícios subiram 2,06% em dezembro, a maior variação apurada pelo IBGE desde janeiro de 2003, e deram a principal contribuição (0,44 pp) para o IPCA do último mês de 2007, de 0,74%. A maior contribuição individual para a taxa mensal foi dada pelas carnes (8,20% e 0,16pp). Os combustíveis registraram alta de 1,58% (9,35% no álcool e 1,03% na gasolina) e contribuíram com 0,08 pp na taxa.  Baixa renda O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que mede a inflação para a camada de renda mais baixa da população, fechou o ano passado com uma variação maior que o IPCA, de 5,16%. Em 2006, o INPC tinha acumulado alta de 2,81%. Em dezembro o INPC ficou em 0,97%, também acima do IPCA do mês (0,74%).  As variações do INPC ficaram acima do IPCA porque os produtos alimentícios, que foram responsáveis pelas maiores pressões na inflação em 2007, têm peso maior nas despesas das famílias de rendimento monetário de um a seis salários mínimos, que são investigadas no INPC. O IPCA abrange as famílias com rendimento de um a 40 salários mínimos. Para o ano de 2008, o centro da meta de inflação também é de 4,5%, com os dois pontos de margem.

Mais conteúdo sobre:
InflaçãoIPCA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.