IPCA fica abaixo do centro da meta em 2007

A inflação pelo Índice Nacional dePreços ao Consumidor Amplo (IPCA) em dezembro foi a maior de2007, que fechou com taxa próxima ao centro da meta, segundoinformações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística(IBGE) divulgadas nesta sexta-feira. O IPCA subiu 0,74 por cento em dezembro e 4,46 por cento em2007. A taxa do ano ficou ligeiramente abaixo do centro da metade inflação do ano, de 4,5 por cento. A meta tem tolerância de2 pontos percentuais para cima ou para baixo. Os dados, que ficaram em linha com a previsão do mercado,seguem a inflação de 0,38 por cento e de 3,14 por cento em2006. Em 2007, os preços de alimentos subiram 10,79 por cento,contribuindo com 2,21 pontos percentuais para o IPCA. "Ou seja,o grupo alimentação e bebidas foi responsável por cerca dametade do índice geral", disse o IBGE em nota. O item carnes avançou 22,15 por cento e foi a maiorcontribuição para a inflação no ano. Em segundo lugar ficou o oitem leite e derivados, com elevação de 19,79 por cento, e emterceiro o feijão, que saltou 109,20 por cento. "A alta dos alimentos é atribuída, basicamente, aosseguintes fatores: condições climáticas desfavoráveis, comchuvas intensas no primeiro semestre e longa estiagem nosegundo; preços elevados dos produtos cotados no mercadointernacional; aumento das exportações, favorecido porproblemas climáticos em países produtores; redução de safra porbaixa remuneração em períodos anteriores; e aumento da demandapor alimentos, tanto interna quanto externa", acrescentou oIBGE. Os preços dos produtos não-alimentícios tiveram em 2007 amenos alta de 1998, de 2,83 por cento. Isso deve-se em parte devido à queda de 6,16 por cento datarifa de energia elétrica, item que teve a principalcontribuição de baixa para o IPCA de 2007. (Reportagem de Vanessa Stelzer; edição de Cláudia Pires)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.