Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

IPCA reduz folga frente à meta, mas pressão deve ceder

A inflação "oficial" do paíssubiu como o previsto em agosto, mas a variação acumulada em 12meses indica uma folga menor frente à meta fixada pelo governo.Para os próximos meses, a expectativa é de que os preçosadministrados e o câmbio amenizem a pressão dos alimentos. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)subiu 0,47 por cento, informou o Instituto Brasileiro deGeografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira, em linha como estimado por economistas, após a taxa de 0,24 por cento emjulho. A alta de agosto foi a maior desde dezembro do ano passado,quando o IPCA subiu 0,48 por cento. "A folga (frente à meta) diminuiu, mas há elementos paraajudar daqui para frente, mesmo se a pressão dos alimentosseguir", disse à Reuters a economista do IBGE Eulina Nunes dosSantos. No ano, o IPCA acumula alta de 2,80 por cento. Nos últimos12 meses, a elevação é de 4,18 por cento --a maior desde maiode 2006, quando o IPCA registrava taxa de 4,23 por cento nessetipo de comparação. "O grupo Alimentos continua pressionando bem, apesar de terdesacelerado em relação ao IPCA-15. A inflação vai diminuir umpouco (até o final do ano), mas ela mudou de patamar", afirmouSilvio Campos Neto, economista-chefe do Banco Schahin. Ele chama atenção para o índice de dispersão, um indicativode como a inflação está espalhada, que passou de 59 por centoem julho para 63 por cento. AJUDA EM SETEMBRO Os núcleos também avançaram. O índice por médias aparadascom suavização passou de 0,2 por cento em julho para 0,4 porcento, segundo cálculo de um economista. O sem suavização subiu de 0,17 por cento para 0,4 por centoe o por exclusão, de 0,08 por cento para 0,3 por cento. Os alimentos contribuíram para a inflação deste ano, atéagora, com 1,38 ponto percentual da inflação, quase a metade dototal. De acordo com o IBGE, o leite e os derivados estão ditandoo ritmo da inflação há quatro meses e não há sinais claros dofim da pressão sobre o IPCA. "Em agosto, o grupo já começou a desacelerar, mas háinformações de que o leite já estaria subindo de novo emalgumas áreas produtoras", acrescentou Eulina. A pressão dos alimentos tem afetado mais as famílias comrendimento de até oito salários mínimos. Segundo a economista do IBGE, a conversão da conta detelefone de pulso para minutos deve provocar uma redução noitem telefone fixo em setembro. "Os administrados e o próprio dólar estão ajudando a contera inflação em 2007. Isso vai se repetir em setembro. No ano, aprópria energia elétrica já trouxe os preços para baixo e oefeito do dólar permeia todo o índice." O IPCA é utilizado pelo governo para balizar a política demetas de inflação. A meta do ano é de 4,5 por cento, com margemde variação de 2 pontos percentuais para cima ou para baixo. (Colaboraram Daniela Machado e Renato Andrade)

RODRIGO VIGA GAIER, REUTERS

06 de setembro de 2007 | 12h19

Tudo o que sabemos sobre:
IBGEIPCAATUADOIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.