IPCA será o principal indicador econômico da semana

A divulgação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de setembro será o principal evento da agenda de indicadores domésticos da próxima semana, reduzida pelo feriado de 12 de outubro, na sexta-feira. O índice oficial usado para calcular a meta de inflação estipulada pelo Banco Central será anunciado na quarta-feira pelo IBGE, e já poderá mostrar uma variação menor do que a alta de 0,47% apurada em agosto. As expectativas, ainda que preliminares, em torno de uma taxa de inflação menor são motivadas pela desaceleração dos preços de dois importantes alimentos da cesta do consumidor: carnes e leites. Os preços do leite e seus derivados, que vinham pressionando os indicadores de inflação desde maio, subiram menos em agosto e a expectativa, à época, da própria coordenadora de índices de preços do IBGE, Eulina Nunes dos Santos, era de que a desaceleração dos preços desses produtos se estenderia para o mês de setembro. O item leite e derivados teve aumento de 5,77% em agosto, contribuindo com 0,13 ponto porcentual para a inflação de 0,47% do mês. Em julho, esse item havia subido 11,31%. A elevação do preço do leite e derivados foi provocada pela entressafra, aumento do consumo interno e quebra da safra em países produtores como Austrália e Nova Zelândia. As carnes também já deram sinais de desaceleração, o que foi visto no IPCA-15 de setembro. Saíram de uma alta de 4,21% em agosto para 1,46% no mês passado. Tanto os preços das carnes como os do leite já respondem ao começo da regularização da oferta.Índices de preçosTambém na quarta-feira, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) anunciará a inflação referente à primeira prévia do Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) de outubro. Para este indicador, as expectativas não são tão positivas quanto são para os indicadores de preços ao consumidor, porque as commodities continuam subindo no mercado externo, pressionando o Índice de Preços no Atacado (IPA). Em setembro, o IGP-M fechou em 1,29%. No mesmo dia, a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) informará em quanto ficou a taxa de inflação para o consumidor paulistano na segunda quadrissemana de setembro. Em setembro, este índice mostrou um reajuste médio de 0,24% dos preços ante 0,07% em agosto. No caso da Fipe, o que levou à alta do indicador foi o menor alívio das quedas da tarifa de energia elétrica; a retomada dos preços dos artigos do grupo Vestuário, que passou de uma baixa de 1,05%, em agosto, para uma variação de -0,07% em setembro; e o início de uma nova pressão dos alimentos in natura. O coordenador do IPC-Fipe, Márcio Nakane, prevê para o final de outubro uma alta de 0,34% dos preços na capital paulista. Na segunda-feira, a FGV divulgará o Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) referente à primeira quadrissemana de outubro. Este indicador, depois de algum tempo descolado do IPCA, voltou a retomar a aderência que o caracterizou como bom indicador antecedente do índice oficial de inflação do País. Em setembro, ele registrou um aumento médio de 0,23% nos preços ao consumidor. Na terça-feira, sai outro indicador: o Dieese divulgará a inflação para a cidade de São Paulo no âmbito do Índice de Custo de Vida (ICV) de setembro. Em agosto, este indicador mostrou uma alta de 0,40% nos preços na capital paulista.Balança comercialO Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) informará na segunda-feira o saldo da balança comercial referente à primeira semana de outubro. Antes, o Banco Central informará as expectativas dos analistas do mercado por meio da Pesquisa Focus. RodoviasA agenda não relacionada aos índices de inflação também reserva acontecimentos importantes. Após enfrentar a tradicional batalha de liminares, o governo decidiu manter o leilão dos sete lotes de rodovias federais para esta terça-feira, em São Paulo. Além disso, o IBGE agendou para a semana três divulgações importantes: O Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, na segunda-feira, a produção industrial regional, na terça, e a pesquisa de custos da construção civil, na quarta.EmpresasO calendário corporativo marca o início das divulgações dos balanços financeiros das companhias abertas brasileiras referentes ao terceiro trimestre de 2007. A produtora de papel e celulose Aracruz e a telefônica GVT abrem a temporada na terça-feira.EUANos Estados Unidos, as atenções estarão voltadas para a divulgação da ata da última reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto, do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA), realizada em 18 de setembro, quando foi decido um corte de 0,50 ponto porcentual na taxa de juros do país, para 4,75% ao ano. Outros destaques são o anúncio do saldo comercial de agosto, na quinta-feira, o do índice de preços ao produtor (PPI) de setembro e os dados de vendas no varejo em setembro, ambos na sexta-feira.No front corporativo, saem balanços financeiros do terceiro trimestre de importantes companhias, como a mineradora de alumínio Alcoa, na terça, Monsanto, na quarta, PepsiCo e Safeway, na quinta-feira, e General Electric, na sexta.

FRANCISCO CARLOS DE ASSIS, FLAVIO LEONEL, RENATO MARTINS E MARCILIO SOUZA, Agencia Estado

07 de outubro de 2007 | 14h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.