IPCV-amplo do RJ cai 0,36% pela 1ª vez em julho

As quedas nos preços dos veículos novos e na alimentação fizeram com que o Índice de Preços do Comércio Varejista Amplo (IPCV-Amplo) no município do Rio de Janeiro registrasse queda de 0,36% em julho, segundo dados divulgados pela Federação do Comércio Varejista do Rio de Janeiro (Fecomércio). O IPCV-Amplo é calculado para famílias com rendimento mensal de até 40 mínimos. Foi a primeira vez que o índice apontou variação negativa desde o começo da pesquisa, em junho de 2002. O índice que afere os preços no comércio varejista para famílias mais pobres (o IPCV, abrangendo até oito salários mínimos mensais), registrou queda de 0,24% em julho. A Fecomércio-RJ apura os dois índices coletando mensalmente 37.840 preços, de 1.892 produtos, em 720 pontos comerciais. Segundo o diretor do Instituto Fecomércio-RJ, Luiz Roberto Cunha, as reduções nos preços dos hortigranjeiros contribuíram de forma significativa para a queda dos índices. "As ofertas de automóveis por parte das concessionárias, por conta dos pátios que continuam cheios, vêm provocando grandes reduções no preço final ao consumidor. Esse comportamento também tem contribuído com bastante intensidade para a queda, no caso do IPCV-Amplo", explica Cunha. Com o resultado de julho, o IPCV-Amplo acumulou, nos últimos 12 meses, alta de 18,53%, destacando o grupo Alimentação, que ficou 27,36% mais caro nesse período. No IPCV, a alta no mesmo período foi maior, de 22,28%, sendo que o grupo Alimentação também foi o que representou maior aumento nos preços, acumulando 29,70%.

Agencia Estado,

11 de agosto de 2003 | 16h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.