Ipea amplia em um ponto a alta do PIB em 2010

O Sensor Econômico, apurado pelo Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea) junto a entidades do setor produtivo, apontou que a mediana das previsões para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) para este ano subiu de 5,5% entre março e abril para 6,5% no bimestre maio e junho.

Ricardo Leopoldo, O Estado de S.Paulo

30 de julho de 2010 | 00h00

Para a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deste ano, as projeções avançaram de 5,2% para 5,5%. As projeções para a taxa básica de juros, a Selic, para dezembro passaram de 11% para 11,5%.

As instituições ouvidas pelo Ipea também destacaram um aumento das projeções de alta dos investimentos para este ano, pois subiram de 13% no levamento feito entre março e abril para 15% na pesquisa realizada de maio a junho. Houve também uma revisão para cima na estimativa da geração de postos de trabalho formais apurados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), de 1,5 milhão para 1,55 milhão.

A projeção da taxa de câmbio ao final de 2010 é de que ele atinja R$ 1,82, um pouco menor que a estimativa anterior (R$ 1,83). A pesquisa mostra também um avanço nas estimativas para as exportações em 2010, que subiram US$ 175 bilhões para US$ 180 bilhões. Mas as previsões para as importações ficaram estáveis em US$ 160 bilhões.

Quanto ao investimento público, a perspectiva é de atinja neste ano entre 3% e 3,5% do PIB. Se forem incluídos os dispêndios de Estados e municípios, pode chegar a 5% do PIB.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.