Ipea prevê alta de 0,7% na produção industrial em maio

Crescimento será na comparação com abril; ante maio de 2008, indicador deve ter queda de 12%

Adriana Chiarini, da Agência Estado,

25 de junho de 2009 | 11h47

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgou nesta quinta-feira, 25, o Indicador Ipea de Produção Industrial Mensal que sinaliza que a produção industrial de maio será 0,7% maior que a de abril, mas 12% menor que a do mesmo mês do ano passado. Os dados da produção industrial de maio serão divulgados no mês que vem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 

Veja também:

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialAs medidas do emprego

especialDe olho nos sintomas da crise econômica 

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise 

 

O Indicador Ipea é feito com base nos dados já divulgados para o mês de maio de alguns setores. São usados dados de produção de papelão da Associação Brasileira de Papelão Ondulado (ABPO) e do setor automobilístico pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), da carga de energia divulgada pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e do fluxo de veículos pesados em rodovias concedidas, calculado em conjunto pela Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR) e pela Tendências Consultoria.

 

Todos esses indicadores cresceram em maio em relação a abril, mas caíram na comparação com maio do ano passado. O Ipea destacou em nota o aumento de 5,6% no consumo de energia em maio em relação ao abril, embora na comparação com maio de 2008 teve havido uma queda de 2,9%.

 

Os automóveis cresceram 2,3% em relação a abril, no quinto aumento seguido na série com ajuste sazonal, porém com queda de 8% na comparação com maio de 2008."Com o fim do ciclo de estoques no setor, espera-se que a performance das vendas, atribuída em parte à redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), passe a ter efeitos mais significantes sobre a produção", disse o economista Leonardo Carvalho, de acordo com nota do Ipea.

Tudo o que sabemos sobre:
crise financeiraindústriaIpea

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.