Ipea prevê inflação de 5,5% no ano

A inflação deverá continuar pressionada nos próximos três a quatro meses, fechando este ano com variação entre 5% e 5,5%, segundo estimativa do diretor de assuntos macroeconômicos do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Eustáquio Reis. Ele ressaltou que suas estimativas levam em conta o comportamento dos preços em dezembro (que surpreendeu o mercado) e que o modelo do Ipea de projeções não leva em conta a liberação do preço da gasolina. Reis acredita que os preços no atacado terão redução nos próximos meses devido à estabilidade do câmbio mas, por outro lado, a recomposição de margens no varejo levará a reajustes nos preços ao consumidor. "Acredito que, ao final de três a quatro meses, haverá uma convergência nos preços do atacado e do varejo, com redução de ambos", afirmou. Ele disse que não acredita que a meta inflacionária deste ano será cumprida no centro (3,5%), porque "isso implicaria em postura monetária bem mais severa do que seria razoável em ano de eleição ou recuperação da economia".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.