Ipea reduz previsão para produção industrial e investimentos

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) está projetando uma reversão na produção industrial e nos investimentos no terceiro trimestre deste ano. O Instituto, que antes previa crescimento nos dois indicadores, agora acredita em recuo de 0,5% e 2%, respectivamente, na comparação com o segundo trimestre. Caso este cenário se confirme, o Produto Interno Bruto (PIB) poderá crescer abaixo do esperado pelo Instituto.Hoje o Ipea divulgou uma nota informando que o nível de atividade desacelerou no terceiro trimestre. Conforme o último boletim divulgado pelo Instituto, de setembro, a expectativa era de crescimento de 0,8% do PIB no terceiro trimestre ante o segundo e de 3,5% no ano todo, na comparação com 2004. O economista do Ipea Estêvão Kopschitz reconhece que a economia poderá crescer menos no terceiro trimestre do que o anteriormente projetado.Ele ressalta, contudo, que as projeções de crescimento para o ano serão reavaliadas apenas em novembro, com base nos dados efetivos do terceiro trimestre. As projeções para a economia são refeitas num intervalo de três meses e divulgadas num boletim. Entre estas divulgações, o Ipea emite notas técnicas, atualizando indicadores específicos. A nota de hoje indicou "desempenho menos favorável" do que o esperado no último boletim."Os dados recentes de nível de atividade têm mostrado estabilidade na produção industrial, queda nas vendas industriais, desempenho positivo do mercado de trabalho e um nível de investimento menor do que o esperado anteriormente, podendo mesmo ter havido nova queda do investimento no terceiro trimestre", diz a nota. No segundo trimestre deste ano, foram justamente a produção industrial e o investimento que puxaram a atividade econômica para cima.Os investimentos registraram alta de 4,5% no segundo trimestre do ano, depois de terem caído duas vezes seguidas último trimestre de 2004 e primeiro de 2005, comparado aos três meses anteriores (livre de fatores sazonais). A estimativa de queda de 2% nos investimentos no terceiro trimestre levam em conta dados de produção de bens de capital e insumos da construção civil, além da exportação e importação de máquinas e equipamentos.No caso da indústria, o Ipea informa que entre julho e agosto a produção acumula queda de 0,8% ante os dois primeiros meses do segundo trimestre (abril e maio) e que para setembro a projeção é de recuo de 1,6% ante agosto. Caso as projeções para os indicadores de investimento e produção se confirmem, a estimativa de crescimento do PIB para 2005 de 3,5% poderá "passar a ser um teto para o ano". Kopschitz lembra, ainda, que o crescimento do País este ano, ainda assim, será superior à média dos últimos dez anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.