Ipea revê previsão do PIB, mas destaque é queda na renda

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), órgão do ministério do Planejamento, baixou sua previsão para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) para este ano, de 1,8% para 1,6%. Mas o destaque das revisões do Instituto publicadas no Boletim de Conjuntura número 61 é a queda na renda média este ano de 2,2%. Em março, a previsão do Instituto era de crescimento do rendimento em 1,2%. Esta foi uma das maiores alterações nas projeções feitas pelo Instituto entre o boletim de Conjuntura número 60, de março, para o Boletim 61, que está sendo divulgado hoje. O Ipea também aumentou sua projeção de desemprego, ainda feita pela metodologia antiga do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 7,2% para 7,7%. Para o ano que vem, a projeção de taxa de desemprego foi revista de 7,1% para 7,5%. E a de rendimento, de 1,4% para 1,0% de crescimento. Já a projeção para o consumo das famílias este ano foi reduzida de 1,0% para 0,2%. A previsão para a variação dos investimentos caiu de 1,5% para 0,8%. O Instituto também reavaliou a sua previsão para o crescimento da agropecuária, aumentando de 3,3% para 3,7%. A avaliação da indústria foi reduzida de 2,3% para 1,8%, e a de serviços passou de 1,1% para 1,2%, nas novas estimativas do Instituto. Projeções para balança comercialA revisão do Ipea para a balança comercial aumentou a previsão de superávit (exportações maiores que importações) para este ano de US$ 16,2 bilhões para US$ 17,2 bilhões. A projeção para o ano que vem subiu de US$ 16, 9 bilhões para US$ 17 bilhões. O déficit em transações correntes teve sua previsão reduzida de US$ 4,9 bilhões para US$ 3,2 bilhões este ano. Para o ano que vem, porém, o Ipea aumentou a projeção do déficit em transações correntes de US$ 4,9 bilhões para US$ 5 bilhões. Em relação à perspectiva para o comportamento do dólar, a previsão do Ipea para o câmbio médio para 2004 foi mantida em R$ 3,4. O câmbio médio deste ano teve sua projeção revista de R$ 3,5 para R$ 3,2. Aumento do PIB em 2004O Instituto aumentou sua projeção para o crescimento do PIB para 2004 de 2,8% para 3,0%. A estimativa para o consumo das famílias, para o ano que vem, diminuiu de 4,0% para 3,8%. A projeção para investimento caiu de 5,1% para 2,3%, também para o ano que vem. Já as projeções do Ipea para o crescimento da indústria e da agropecuária em 2004 foram revistas para cima. A indústria deve crescer 4,3% e a agropecuária, 3,2%. A estimativa de crescimento para o setor de serviços, para o ano que vem, foi mantida em 2,1%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.