Ipea: sem CPMF, superávit não vai ultrapassar a meta

A Carta de Conjuntura divulgada hoje pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), em sua introdução, afirma que "a não-aprovação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) pelo Senado obrigará o governo federal a adotar uma combinação de corte de gastos, elevação de tributos e redução do superávit primário, cumprindo apenas a meta estabelecida". O texto prossegue registrando que o atual resultado do superávit primário está acima da meta devido ao excelente desempenho da economia. Por isso, segundo o Ipea, "o esforço adicional para compensar esta perda de receita será um pouco menor". O novo coordenador do Grupo de Acompanhamento de Conjuntura do Ipea, Marcelo Nonnenberg, confirmou que o texto se refere a 2008, embora a Carta de Conjuntura não traga projeções para o ano que vem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.