Ipea tem mais um diretor desenvolvimentista

O economista João Sicsú, professor do Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), foi apresentado esta semana aos funcionários do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), como novo diretor de Estudos Macroeconômicos. Ele substitui Paulo Levy, que estava no cargo desde o início do governo Lula, em 2003, e é funcionário de carreira do Ipea.Sicsú já está trabalhando, embora sua nomeação ainda não tenha sido publicada no Diário Oficial da União. Ele chega ao governo pelas mãos do novo presidente do Ipea, Márcio Pochmann, que assumiu no mês passado, a convite do ministro Roberto Mangabeira Unger, titular da Secretaria de Planejamento de Longo Prazo, à qual o instituto passou a ser vinculado.Tanto Pochmann quanto Sicsú são da linha desenvolvimentista, assim como o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho. Ao contrário do moderado Paulo Levy, que demonstrou, em sua gestão, grande preocupação com a questão fiscal.O Grupo de Acompanhamento Conjuntural (GAC), que elabora o Boletim de Conjuntura do Ipea - com previsões que nem sempre coincidem com os dados do governo divulgados pelos Ministérios da Fazenda e do Planejamento -, é subordinado à Diretoria de Estudos Macroeconômicos. Levy tinha sido coordenador do GAC antes de passar a diretor. Sicsú ainda não anunciou o que fará com o GAC. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.