Ipea vê alta do PIB de 4,3% e IPCA de 3,4% no ano

Além disso, instituto prevê uma taxa de juro média de 10,7% neste ano

Agencia Estado

21 de junho de 2007 | 12h48

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) elevou ligeiramente nesta quarta-feira, 20, sua previsão para o crescimento da economia brasileira este ano e reduziu sua estimativa para a inflação. De acordo com o órgão, ligado ao Ministério do Planejamento, o Produto Interno Bruto (PIB) do País deve crescer 4,3% neste ano. A estimativa anterior era de uma expansão de 4,2%. Em termos de inflação, o IPEA calcula que o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) encerrará o ano com alta de 3,4%, um pouco abaixo dos 3,8% estimados anteriormente. Para 2008, a estimativa para a inflação foi mantida em 4%. A nova expectativa de crescimento para a economia brasileira contempla algumas mudanças feitas nas projeções de expansão dos segmentos que compõem o indicador. Para a indústria, por exemplo, a estimativa de expansão recuou de 4,8% para 4,3%. No caso da agropecuária, o prognóstico passou de 6% de aumento para 4,5%. Para o setor de serviços, a expansão estimada foi elevada de 3,6% para 4%. Segundo o Ipea, a formação bruta de capital fixo - uma medida de investimento - deve crescer 9% este ano. O instituto também revisou os cenários traçados para os juros e o câmbio. No primeiro caso, a projeção para a taxa de juro média do último trimestre do ano passou para 10,7%, ante 11,5% no levantamento passado. No caso do câmbio, os novos cálculos apontam para uma cotação média de R$ 1,99 para o dólar nos últimos três meses do ano, ante estimativa anterior de R$ 2,21.

Mais conteúdo sobre:
Ipeaprojeçõeseconomia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.