Ipem reprova 28 produtos da cesta básica em SP

O Instituto de Pesos e Medidas (Ipem-SP), órgão de defesa do consumidor ligado ao governo estadual, examinou o peso e o volume de 65 produtos da cesta básica de produtos coletados em supermercados da Capital e do Interior paulista. O Instituto reprovou 28 produtos que apresentaram quantidade abaixo da especificada na embalagem. Entre os produtos verificados estavam: arroz, feijão, café, macarrão, leite, óleo de soja, biscoitos e açúcar.Na Capital, O Ipem-SP reprovou três produtos entre 27 examinados. As irregularidades foram encontradas no biscoito côco Dunga, de 400 gramas, com 23,20 gramas a menos na média e, ainda, oito embalagens com erro de até 39,40 gramas a menos; o biscoito cream cracker Liane, de 400 gramas, que apresentou três unidades com erro de até 23,70 gramas a menos e o extrato de tomate Pão de Açúcar, de 140 gramas, que apresentou oito embalagens com erro de até 11,70 gramas a menos. Já no Interior, o Ipem-SP encontrou irregularidades no peso e volume da embalagem de 25 dos 38 produtos analisados. Os maiores erros encontrados foram biscoito recheado morango Sapeca Fuller, de 170 gramas, que apresentou 10,80 gramas a menos na média; o biscoito de limão Ninfa, de 400 gramas, com 12,70 gramas a menos na média e, ainda, nove unidades com erro de até 22,50 gramas a menos; e o biscoito wafer sabor morango Bauducco, de 130 gramas , com 4,00 gramas a menos na média e, ainda, nove embalagens com erro de até 8,80 gramas a menos.Multas vão até R$ 2,4 milO Ipem-SP realiza a coleta de cerca de 90 produtos por dia em supermercados do Estado de São Paulo. Os fabricantes dos produtos que demonstraram irregularidades receberão um auto de infração e terão o prazo de 15 dias para apresentar a defesa ao Ipem-SP. Após este prazo, eles poderão ser punidos com multa de até R$ 2,4 mil. Em caso de reincidência, o valor da multa dobra. O Ipem-SP atende denúncias e reclamações dos consumidores pelo telefone de sua ouvidoria: 0800-130522, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.