Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Ipem-SP realiza blitz em lojas do Estado

Fiscais do Instituto de Pesos e Medidas de São Paulo (Ipem-SP), órgão de defesa do consumidor ligado ao governo estadual, realizaram uma blitz em lojas de roupas infantis da Capital e da região de Campinas, no Interior paulista. Durante a Operação Dia das Crianças, os fiscais autuaram 5 dos 55 estabelecimentos visitados pela venda de artigos têxteis com irregularidades. As maiores problemas encontrados foram o emprego de denominação não-prevista em lei, como nylon, e a ausência da indicação da composição têxtil na etiqueta. Durante a fiscalização, o Ipem-SP verificou 2.965 produtos, interditou 36 produtos pela falta da indicação da composição têxtil na etiqueta e coletou três produtos com suspeita de indicação não-condizente com o tecido do artigo para análise em laboratório.Os lojistas responsáveis pelas irregularidades terão prazo de 15 dias para apresentar defesa e poderão ser punidos com multa de até R$ 2,4 mil. Na reincidência, o valor é o dobro.Fiscalização de brinquedosTermina amanhã a operação realizada pelos fiscais do Ipem-SP para verificar irregularidades em brinquedos. Dos 84.072 brinquedos verificados ontem e hoje, 256 foram apreendidos pela falta do selo de certificação do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) na embalagem. A ausência de instruções e da indicação da faixa etária em língua portuguesa também foi observada durante a fiscalização. De acordo com a supervisora técnica de serviços do Ipem-SP, Ivete Regina Boldrini, praticamente 100% dos produtos apreendidos são importados. "Os brinquedos nacionais estão dentro das normas técnicas e apresentam o selo de certificação do Inmetro", afirma.Entre os brinquedos apreendidos estavam estojos de maquiagem infantis, pelúcia, jogos de panelas, carrinho, motos com controle remoto, cachorros com controle remoto, lousas, bonecos e bonecas, entre outros. Ao todo, foram visitados 39 estabelecimentos dos shoppings Aricanduva, Center Norte, Anália Franco, Morumbi, Ibirapuera e Tatuapé.Os lojistas responsáveis pelas irregularidades terão prazo de 10 dias para apresentar a nota fiscal do produto e poderão ser punidos com multa de até R$ 2,4 mil. Na reincidência, o valor da multa é dobrado. O Ipem-SP atende reclamações e denúncias dos consumidores pelo telefone de sua ouvidoria: 0800-130522, de segunda a sexta-feira, das 8h30min às 17h30min.

Agencia Estado,

09 de outubro de 2001 | 18h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.