iPhone 5 faz Apple ultrapassar o Google nos Estados Unidos

O iPhone 5 ajudou a Apple a superar, nos Estados Unidos, o Android, sistema operacional do Google, informou ontem o instituto de pesquisa Kantar WorldPanel. A participação da empresa no mercado americano nas 12 semanas até 28 de outubro dobrou para 48,1%, ante o mesmo período de 2011, e ficou próxima do seu recorde de 49,3%, alcançado no início de 2012. Já a fatia do Android caiu de 63,3% para 46,7%.

O Estado de S.Paulo

28 de novembro de 2012 | 02h10

"A última vez que vimos o iOS ultrapassar o Android nos Estados Unidos foi na época do lançamento do iPhone 4S. Acreditamos que a Apple vá bater seu recorde anterior de 49,3% e conquistar a maior participação do mercado americano de sua história nos próximos dois períodos", disse um analista da Kantar.

Na Europa, no entanto, o Android continua na liderança. A fatia que a plataforma tem na Alemanha é de 74% e na Espanha, 82%. Considerando os cinco maiores mercados do continente, a empresa de Steve Jobs apresenta recuperação. A participação dos aparelhos da companhia saltou de 1% para 21% na região em um ano, enquanto a do Android foi de 51% para 64%.

A pesquisa também mostrou que a lealdade dos consumidores à marca Apple é o que responde pela maior parte das vendas. Sessenta e dois por cento dos que compraram um iPhone 5 já eram donos de versões anteriores do smartphone. Os consumidores que substituíram o Android pelo iPhone somaram 13% das vendas. Já os que abandonaram um BlackBerry pelo celular da Apple totalizaram 6%. Segundo o estudo, 92% dos donos de iPhone disseram escolher um novo iPhone na próxima compra.

Demissão. Apesar de dominar o mercado americano, a Apple vive um momento conturbado no escopo gerencial. Fontes afirmaram que a empresa demitiu o executivo Richard Williamson, que liderava o grupo responsável pela área de aplicativos de mapas. A informação foi divulgada pela agência de notícias Bloomberg, citando pessoas com conhecimento do assunto.

No fim do mês passado, o presidente da Apple, Tim Cook, forçou o afastamento de Scott Forstall, chefe do grupo de software para celulares. Considerado o braço direito de Steve Jobs por um longo período, ele foi convidado a se retirar depois de anos de atrito com outros executivos do alto escalão e também por se recusar a assumir o fracasso do novo sistema de mapas. As falhas no aplicativo fizeram Cook pedir desculpas e recomendar o uso de sistemas dos concorrentes. Isso deu início a uma grande mudança na administração da companhia. /AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.