iPhone perdido vira problema para a Apple

Site afirma que funcionário da empresa teria esquecido num bar uma nova e supersecreta versão do aparelho

, O Estado de S.Paulo

21 de abril de 2010 | 00h00

Um protótipo de uma versão supersecreta do iPhone 4G, que só deveria ser divulgada daqui a alguns meses, foi esquecida em um bar em Redwood City, na Califórnia. Em pouco tempo, fotos do produto apareceram no Gizmodo, um site de notícias de tecnologia, que informou que o aparelho pertencia a um engenheiro da Apple.

O caso chama a atenção porque a Apple é conhecida como a mais sigilosa do Vale do Silício, e são raros os casos de vazamento de suas informações.

Embora a autenticidade do telefone tenha sido contestada, uma fonte informada a respeito dos planos da empresa para o hardware, mas não autorizada a falar em nome da Apple, confirmou ao New York Times que se tratava de um iPhone. A Apple não quis comentar o caso.

"É mesmo incrível", diz Tim Bajarin, presidente da Creative Strategies, que acompanha a Apple há quase três décadas. "Os novos produtos da empresa são mantidos em segredo até o dia de sua apresentação."

"Para o bem da pessoa que perdeu o telefone, espero que isso seja apenas uma criativa campanha de marketing", disse Paul Saffo, analista veterano do Vale do Silício. "Mas creio que isso é improvável. No momento, não há no planeta ninguém que eu tenha menos vontade de ser do que o responsável por isto." Em atualização publicada num blog detalhando como o telefone fora encontrado, o Gizmodo disse que o aparelho foi esquecido no Gourmet Haus Staudt, uma loja de especialidades alemãs e cervejaria de Redwood City.

A pessoa que encontrou o telefone o vendeu ao Gizmodo, que comprou o aparelho por US$ 5 mil. Mais de 1 milhão de usuários visitaram o site no período de apenas uma hora para ver fotos do dispositivo.

Devolução. Segundo relatos que surgiram na internet mais tarde, o presidente da Apple, Steve Jobs, teria telefonado ao Gizmodo para recuperar o aparelho. De acordo com informações do Wall Street Journal, o aparelho acabou mesmo sendo devolvido.

Visto de frente, o aparelho é muito parecido com o iPhone atual, mas apresenta cantos mais pontudos e uma espessura um pouco menor. Os botões para ajuste de volume e ativação apresentam estilo diferente, e a parte traseira do telefone parece feita de vidro cerâmico, permitindo melhor recepção. Isso corrigiria um problema que atinge persistentemente o iPhone desde o seu lançamento, há três anos. / TRADUÇÃO DE AUGUSTO CALIL

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.