finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

IPI reduzido alavanca alta da atividade comercial em outubro

Comércio registrou no último mês crescimento de 7,1% ante o mesmo mês em 2008, aponta Serasa Experian

estadao.com.br,

05 de novembro de 2009 | 10h02

Impulsionada pela proximidade do fim do IPI reduzido para produtos da linha branca, a atividade do comércio registrou em outubro alta de 7,1% ante o mesmo mês em 2008, aponta pesquisa do Serasa Experian divulgada nesta quinta-feira, 4. É a maior taxa de crescimento anual desde dezembro de 2008. Na comparação com setembro, a alta do indicador foi de 1,3%, alavancada pelos segmentos de móveis, eletroeletrônicos e informática.

 

O setor de veículos, motos e peças teve queda mensal de 0,9% em outubro ante setembro, refletindo o início da redução gradual no desconto do IPI. Porém, na comparação com outubro de 2008, o mesmo setor aponta alta de expressiva de 20,4%. A pesquisa também destaca a queda de 18,2% do segmento de material de construção ante o mesmo mês no ano passado.

 

 

O setor varejista continua em ritmo de recuperação e registrou taxas mensais positivas com o segmento de Supermercados, Hipermercados, Alimentos e Bebidas (+0,4%) e no ramo de Tecidos, Vestuário, Calçados e Acessórios (+0,7%).

 

"O resultado de outubro foi atípico por ter sido influenciado pela expectativa da não prorrogação do IPI reduzido para os eletrodomésticos, gerando antecipação na procura por estes itens. Dado que já se encontra em curso um processo gradual de retorno do IPI, não apenas para a linha branca mas também para os veículos e tendo em vista que estímulos monetários adicionais não serão implementados, espera-se que a atividade varejista cresça, ao longo dos próximos meses em ritmo mais moderado do que o observado em outubro", avaliam os técnicos da Serasa.

 

No acumulado do ano, a atividade do comércio registra crescimento de 4,7%, com destaque do setor de Móveis, Eletroeletrônicos e Informática, com alta de 10,3%. Na sequência, os setores de Veículos, Motos e Peças registram alta de 4,4%) e o de Tecidos, Vestuário, Calçados e Acessórios tem avanço de 4,1%). Segundo a pesquisa, os únicos segmentos que apresentaram queda de atividade no acumulado anual foram o de Combustíveis e Lubrificantes (-1,9%) e o de Material de Construção (-14,8%).

Tudo o que sabemos sobre:
atividade do comérciooutubroSerasa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.