Ipiranga interrompe produção de Refinaria pela segunda vez no ano

A Refinaria Ipiranga suspendeu novamente sua produção em Rio Grande (RS), a 310 quilômetros de Porto Alegre (RS). A operação tem sido afetada pela defasagem entre o preço do petróleo no mercado internacional e dos combustíveis no País. É a segunda vez neste ano que a empresa paralisa a atividade. A primeira parada durou quase 60 dias e a operação foi retomada em junho.A companhia informou que desligou as unidades de processamento de petróleo no dia 20. As demais estão seguindo um plano de desligamento. A Ipiranga observou que o petróleo opera na faixa de US$ 65 por barril, enquanto os derivados (gasolina, óleo diesel e gás de cozinha) produzidos pelas refinarias brasileiras mantêm os preços atualizados em 2004, quando o óleo estava em US$ 40/barril."Enquanto persistirem essas condições e também não houver definição do governo, a Refinaria Ipiranga não poderá retornar a operação", disse a companhia, por meio de nota. A Ipiranga informou ainda que fez contato com seus clientes e com a Agência Nacional de Petróleo (ANP) para equacionar o abastecimento da região sul do Estado durante a parada. Conforme a empresa já havia explicado anteriormente, sua produção poderá abastecer os clientes em agosto. Em setembro, deverá atender parcialmente alguns produtos com seus estoques."A empresa vem trabalhando em alternativas que não precisem repassar os elevados valores do petróleo ao consumidor, mas que fundamentalmente equilibrem a situação das refinarias brasileiras que, devido ao monopólio por 45 anos, não puderam crescer e nem ser integradas ao petróleo", afirmou a Ipiranga.A companhia havia apresentado ao governo uma proposta de prestar serviços de refino à Petrobras. Além disso, outras possibilidades citadas pela empresa seriam receber petróleo da estatal a um custo compatível com o valor dos derivados ou usar a Cide na regulação de preços.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.