Ipiranga poderá deixar exploração e produção de petróleo

A Ipiranga deve se desfazer de suas áreas de exploração e produção de petróleo no Brasil. A empresa não confirma a intenção oficialmente, mas fontes da empresa informam que deverá ser lançado em breve um data-room (sala de informações) para se desfazer das participações em consórcios com outras petroleiras em áreas adquiridas em leilões da Agência Nacional de Petróleo (ANP). A empresa segue uma tendência que vem sendo verificada no setor. Outras empresas já anunciaram a intenção de suspender ou reduzir os investimentos no Brasil. A Total já anunciou que fechará seu escritório no país e a Unocal estuda a mesma possibilidade. A Ipiranga participa hoje em três projetos de exploração de óleo da Bacia do Recôncavo e um de desenvolvimento da produção do campo de Sardinha, na Bacia de Camamu Almada (BA). A empresa está tentando negociar inicialmente suas participações com os parceiros, antes de colocar à venda. A Ipiranga tem como parceiros a Quiroz Galvão, que encabeça um dos consórcios da Bacia do Recôncavo, a Samson, que encabeça outros dois consórcios da mesma bacia e a El Paso, responsável pelo campo de Sardinha, que também tem participação da Petrobras. O motivo que levou a empresa a se desfazer do negócio não foi comentado.

Agencia Estado,

16 Julho 2003 | 17h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.