bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

IPO da Votorantim Cimentos pode movimentar até R$ 7,6 bi

Em prospecto enviado a autoridades dos EUA, empresa aponta que alta dependência do Brasil pode ser fator de risco

FERNANDA GUIMARÃES , LUANA PAVANI, O Estado de S.Paulo

30 de maio de 2013 | 02h07

A Votorantim Cimentos vai vender 400 milhões de units em sua oferta inicial de ações na BM&FBovespa (IPO, na sigla em inglês). A faixa de preço estimada para as units é de R$ 16 a R$ 19, o que significa que a oferta pode girar até R$ 7,6 bilhões.

As units podem ser oferecidas diretamente ou por meio de American Depositary Shares (ADS), de acordo com documento sobre a operação enviado à Securities and Exchange Commission (SEC), dos Estados Unidos. Cada unidade representa uma ação ordinária e duas preferenciais.

Em dólares, o preço por ADS é de US$ 15,59 a US$ 18,51, com base na taxa de câmbio de R$ 2,0527 do último dia 27. Do total de units ofertado, estão à venda 114,3 milhões que são da Votorantim Industrial.

Riscos. A dependência do desempenho das operações brasileiras é um dos principais riscos relativo à Votorantim Cimentos, ainda de acordo com o prospecto enviado à SEC.

A empresa informou que, em 2012 e no primeiro trimestre do ano, as vendas advindas do Brasil, incluindo as operações na América do Sul, representaram, respectivamente, 81,3% e 76,8% da receita líquida.

Apesar da participação discreta no exterior, que se resumem a joint ventures nos Estados Unidos, a controladas no Uruguai e na Bolívia e a participações minoritárias na Argentina e no Chile, a Votorantim destaca que essas operações estão sendo afetadas pela crise.

"O amplo impacto da crise econômica mundial, inclusive os efeitos prolongados da dívida europeia, provocou desaceleração econômica em alguns desses países, que em alguns casos consistiu em situações econômicas e financeiras domésticas voláteis", disse a empresa.

Investimentos. No documento enviado às autoridades americanas, a Votorantim informou que 45% dos recursos do IPO serão utilizados para a continuidade da sua estratégia de expansão orgânica e diversificação de seu portfólio de produtos e em potenciais aquisições dentro e fora do Brasil.

Aproximadamente 40% do capital levantado deverá ter como destino o reforço do capital de giro da companhia. Os 15% remanescentes deverão ser aplicados em investimentos estratégicos para melhoria de eficiência das operações da empresa.

Os bancos coordenadores do IPO da Votorantim Cimentos são BTG Pactual, Credit Suisse, Itaú BBA, JP Morgan e Morgan Stanley, o qual tem uma opção de exercer a compra de até 60 milhões de units de forma adicional.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.