finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

IPV de setembro sobe 0,24% em setembro

Os preços no comércio varejista paulistano subiram 0,24% em setembro ante uma alta de 0,12% em agosto, segundo levantamento divulgado nesta terça-feira pela Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP). No mês passado, o Índice de Preços no Varejo (IPV) igualou a maior variação mensal de 2006, que até então pertencia somente ao mês de janeiro. Nos primeiros nove meses deste ano, o indicador continuou em queda e acumulou variação de -0,64% sobre o mesmo período de 2005.Entre os grupos analisados pela Fecomercio-SP, os destaques em setembro ficaram por conta de Açougues (4,93%) e Supermercados (0,64%), que exerceram as maiores pressões sobre o resultado geral. De acordo com a entidade, ambos sofreram o impacto da recuperação dos preços da carne bovina.No primeiro grupo, que tem peso de 2,20% no IPV, o item subiu 3,55% e foi seguido pelas aves (13,87%). No segundo, que tem peso de 32,02% no índice geral, a carne bovina subiu 5,66% e foi acompanhada pelas altas dos legumes (9,51%), pescados (5,63%), verduras (4,21%) e frutas (4,18%).A pesquisa da Fecomercio-SP também detectou altas nos grupos CDs (1,51%); Material de Escritório e Outros (0,65%); Móveis e Decorações (0,50%); Vestuário, Tecidos e Calçados (0,28%); e Drogarias/Perfumarias (0,16%). Na outra ponta, houve redução de preços nos grupos Eletroeletrônicos (-1,49%); Veículos (-0,14%); Combustíveis e Lubrificantes (-0,72%); Feiras (-0,50%); Eletrodomésticos (-0,49%); Autopeças e Acessórios (-0,39%); Floriculturas (-0,34%); e Óticas (-0,25%).No acumulado de 2006 ante o mesmo período de 2005, por grupos, a pesquisa da Fecomercio-SP apurou altas em Floriculturas (10,91%); Óticas (3,91%); Drogarias/Perfumarias (3,53%); Móveis e Decorações (2,42%); Material de Escritório e Outros (2,08%); Combustíveis e Lubrificantes (1,97%); Veículos (1,36%); e Eletrodomésticos (0,11%). Quanto às quedas, os grupos que tiveram este desempenho foram os de Eletroeletrônicos (-12,56%); Feiras (-4,16%); Açougues (-3,56%); Supermercados (-2,80%); CDs (-1,99%); Autopeças e Acessórios (-0,81%); e Vestuário, Tecidos e Calçados (-0,68%).Na avaliação da Fecomercio-SP, há expectativa de manutenção do quadro atual por "algum tempo". Segundo o presidente da entidade, Abram Szajman, os preços dos bens que interferem de maneira significativa nos índices de inflação, como o petróleo, estão "sob controle", assim como o câmbio.O IPV é apurado mensalmente pela Fecomercio-SP desde 1992. Os dados são coletados junto a cerca de 2 mil estabelecimentos comerciais no município de São Paulo.

Agencia Estado,

10 de outubro de 2006 | 12h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.