IR: estudo aponta Imposto pago a mais neste ano

Estudo da Trevisan Consultores comprova que o contribuinte está pagando mais Imposto de Renda (IR) devido à falta de correção da tabela de isenções e alíquotas. O estudo levou em conta contribuintes de três faixas salariais - R$ 1.600,00, R$ 2.800,00 e R$ 3.100,00. Nas três situações, a Trevisan tomou por base famílias com dois dependentes, sendo que um deles estudante, e despesas médicas anuais de R$ 600,00.No caso do contribuinte com renda mensal de R$ 1.600,00, o IR a ser pago nesse ano, segundo a tabela atual, é de R$ 328,00, considerando que a dedução é de R$ 1.620,00. Pelos cálculos da consultoria, esse contribuinte não teria IR a pagar no final do ano, caso a tabela do IR já tivesse sido corrigida, porque o limite de isenção seria superior.Para chegar a essa conclusão, a Trevisan atualizou a tabela de IR pelo Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M), pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e pela Unidade Fiscal de Referência (Ufir), acumulados entre janeiro de 1996 e dezembro de 2000. Nesse período, a alta destes índices foi de 48,78%, 31,35% e 28,40%, respectivamente. Vale destacar que a tabela de IR não é corrigida desde 1995 (veja na matéria seguinte como ficariam as tabelas corrigidas). No segundo exemplo analisado, com salário de R$ 2.800,00, o contribuinte pagará este ano R$ 3.211,34 - quase três vezes mais do que o valor a ser pago se a tabela já estivesse corrigida pelo IGP-M, em que o Imposto devido seria de R$ 1.104,02. O valor atual do Imposto é 190,87% superior ao que seria cobrado com a tabela atualizada pelo Índice. Ou seja: pela tabela atual o contribuinte está pagando a mais R$ 2.107,32. Com a correção da tabela pelo IPCA, o contribuinte pagaria R$ 1.856,99. De acordo com a atualização pela Ufir, o contribuinte pagaria R$ 1.984,43. A economia nos dois casos seria de R$ 1.354,35 e R$ 1.226,91, respectivamente. Já no terceiro exemplo, com salário de R$ 3.100,00, o contribuinte vai pagar este ano R$ 4.201,34. Este valor é R$ 2.107,32 superior ao que deveria ser pago se a tabela fosse atualizada pelo IGP-M, ou seja, o contribuinte está pagando praticamente o dobro do que pagaria com a tabela atualizada, ou 100,63% a mais.Com a correção da tabela pelo IPCA, o contribuinte pagaria R$ 2.846,99, o que representa uma economia de R$ 1.354,35 em relação ao que ele está pagando hoje. Na tabela corrigida pela Ufir, em que o contribuinte pagaria R$ 2.974,43, a economia seria de R$ 1.226,91. Veja abaixo as tabelas comparativas com todos os valores. Contribuinte A: renda mensal R$ 1.600,00Contribuinte ATabela atualTabela corrigida pelo IGPMTabela corrigida pelo IPCATabela corrigida pela UfirRenda anual19.200,0019.200,0019.200,0019.200,00Descontos *6.213,326.213,326.213,326.213,32Valor tributável (renda anual ? descontos)12.986,6812.986,6812.986,6812.986,68Alíquota15%15%15%15%Cálculo do IR (A)1.948,001.948,001.948,001.948,00Parcela a deduzir do Imposto (B)1.620,002.410,202.127,872.080,08IR devido (A-B)328,00------Contribuinte B: renda mensal R$ 2.800,00Contribuinte BTabela atualTabela corrigida pelo IGPMTabela corrigida pelo IPCATabela corrigida pela UfirRenda anual (R$)33.600,0033.600,0033.600,0033.600,00Descontos * (R$)6.213,326.213,326.213,326.213,32Total (renda anual ? descontos) (R$)27.386,6827.386,6827.386,6827.386,68Alíquota27,5%27,5%27,5%27,5%Cálculo do IR (A)7.531,347.531,347.531,347.531,34Parcela a deduzir do Imposto (B)4.320,006.427,325.674,355.546,91IR devido (A-B)3.211,341.104,021.856,991.984,43Contribuinte B: renda mensal R$ 3.100,00Contribuinte CTabela atualTabela corrigida pelo IGPMTabela corrigida pelo IPCATabela corrigida pela UfirRenda anual37.200,0037.200,0037.200,0037.200,00Descontos *6.213,326.213,326.213,326.213,32Total (renda anual ? descontos)30.986,6830.986,6830.986,6830.986,68Alíquota27,5%27,5%27,5%27,5%Cálculo do IR (A)8.521,348.521,348.521,348.521,34Parcela a deduzir do Imposto (B)4.320,006.427,325.674,355.546,91IR devido (A-B)4.201,342.094,022.846,992.974,43* Total anual para INSS (1.753,32), dependentes (2.160,00), despesas escolares (1.700,00), despesas médicas (600,00).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.