IR sobre ganho na Bolsa sobe para 20% em 2002

No próximo ano, a partir do dia 2 de janeiro, a alíquota de Imposto de Renda (IR) na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) passará de 10% para 20% sobre o ganho de capital em resgates de fundos de ações ou venda de ações, independentemente do período em que o lucro foi auferido. Além disso, a cobrança da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), cuja isenção na Bolsa permanece indefinida, reduz ainda mais o ganho do investidor em ações. Uma estratégia seria o investidor vender suas ações ou resgatar seus recursos do fundo de ações antes da mudança da alíquota do IR e voltar à Bolsa no próximo ano. O investidor, no caso, pagaria um imposto menor, mas corre outro risco, o de ser estar fora da Bolsa, caso haja valorização forte das ações. Vale lembrar que, neste ano, a Bovespa chegou a subir 7,61% em apenas um pregão. O advogado especialista em mercado Ricardo Freitas ainda torce para que a Receita Federal volte atrás e mantenha a alíquota de 10%. Segundo ele, a norma em vigor define que a alíquota poderá ser de 20% sobre o lucro nos casos em que o fato gerador do imposto (saque) ocorra em 2002. Anbid vai pedir adiamento para a mudança do IR A Associação Nacional dos Bancos de Investimento (Anbid) encaminhou no dia 7 um ofício ao Ministério da Fazenda em que propõe o adiamento da mudança no imposto para 2003. Outra proposta, também da Anbid, é que o investidor em ações possa recolher antecipada e voluntariamente o IR sobre o preço médio dos papéis em dezembro. O imposto seria zerado e a partir daí é que passaria a valer a nova alíquota de 20%. Freitas comenta que esse tipo de mudança nas regras poderia ser feito a qualquer momento. O diretor-presidente da consultoria Money Maker, Fábio Colombo, comenta que uma opção para balancear o risco é sacar e reinvestir os recursos, em partes, por vários dias consecutivos. "Assim, pode-se diminuir a possibilidade de ficar de fora da Bolsa em um período de forte valorização."

Agencia Estado,

17 Dezembro 2001 | 09h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.