Irã intercepta navios britânicos e prende tripulantes

A marinha do Irã interceptou hoje três navios britânicos e prendeu oito de seus tripulantes. Segundo informações da rede de televisão árabe Al-Alam, as embarcações, descritas como navios de guerra, entraram no território iraquiano próximo à fronteira com o Iraque. Já a BBC disse que o Ministério da Defesa do Reino Unido está investigando as informações e que não há navios de guerra britânicos na região. No entanto, o Ministério informou haver alguns navios na região. A notícia fez os preços do petróleo nos mercados futuros reagiram em alta. Segundo traders, a ausência de notícias nesta segunda-feira ampliava o efeito da informação. Às 10h13 (de Brasília), o contrato do petróleo brent para agosto, negociado em Londres, subia US$ 0,29 (0,80%), para US$ 36,50 o barril. No pregão eletrônico da Nymex, o contrato do cru com vencimento em julho avançava US$ 0,17 (0,44%), para US$ 38,92 o barril. Os contratos abriram em baixa, com investidores retomando posições vendidas cobertas na sexta-feira, em precaução à perspectiva de pesado noticiário geopolítico durante o fim de semana. A migração para posições vendidas do início do dia foi favorecida por informações de que o Iraque voltou a bombear petróleo. Cerca de 42 mil barris por hora estariam sendo bombeados para o terminal de Basra, o que significa um volume diário equivalente a 1,008 milhão de barris. Mesmo assim, a reação à retomada de parte das exportações iraquianas foi moderada, diante da contínua violência por extremistas islâmicos e da greve de petroleiros na Noruega. Com a greve, cerca de 316 mil barris de petróleo ao dia estão deixando de ser produzidos. Títulos norte-americanosOs títulos do Tesouro dos EUA reverteram as perdas do começo do dia e passaram a subir - projetando o juro dos papéis em baixa - com as informações de que o Irã havia interceptado os navios britânicos. Às 9h56 (de Brasília), o juro do note de 10 anos caía para 4,6946% e o juro do T-bond recuava a 5,3700%. O juro do papel de dois ano recuava a 2,7622%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.