IRF-M entrará no mercado na 6ª

O Índice de Renda Fixa de Mercado (IRF-M) passa a ser divulgado a partir de sexta-feira. A nova sigla do mercado financeiro vai desempenhar o papel de benchmark ou referência de rentabilidade dos fundos de renda fixa (veja link abaixo).Elaborado em parceria entre a Associação Nacional das Instituições do Mercado Aberto (Andima) e a Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), o IRF-M chega para corrigir uma distorção. No momento, os fundos de renda fixa, cuja carteira é composta predominantemente por títulos com juros prefixados, toma por comparação o DI, uma taxa pós-fixada utilizada na troca de recursos entre bancos.O gerente da Área Técnica da Andima, Luiz Macahyba, destaca que a adoção do DI como benchmark vem subestimando a evolução de uma carteira prefixada. "A diferença na evolução dos dois indicadores fica mais clara quando ocorre uma elevação ou redução dos juros." Um estudo comparativo feito pela Andima aponta um diferença de 7% entre eles no período de fevereiro e outubro. "Um investidor que tivesse aplicado em um fundo de renda fixa atrelado ao IRF-M em fevereiro teria chegado a outubro com rentabilidade equivalente a 107% do CDI acumulado no período", diz Macahyba.O Índíce terá base em LTNsO IRF-M, apurado com base nas taxas das Letras do Tesouro Nacional (LTNs), foi formatado para ser parâmetro de fundos cujo rendimento é dado por títulos que embutem uma expectativa prefixada de juro. E chega para cumprir melhor o papel do que um DI porque, lançado com valor inicial de R$ 1 mil na sexta-feira, o índice será rebalanceado e atualizado diariamente com o acréscimo de um porcentual que corresponde à rentabilidade diária dos títulos.O novo índice passa a funcionar a partir de sexta-feira e o mercado de fundos já se movimenta para o lançamento de produtos com referência nele. Mas a expectativa é que os administradores acompanhem a evolução do IRF-M durante algum tempo antes de ofertar fundos com esse benchmark (veja link abaixo). O interesse em amarrar o rendimento dos fundos de renda fixa a esse índice deve aumentar também quando houver o lançamento dos contratos futuros de IRF-M, pela BM&F. Um derivativo desse índice para dar hedge (proteção) a esses fundos, contudo, deve ser constituído quando o índice de renda fixa consolidar a aceitação no mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.