Israel aprova lei para aumentar a competição corporativa

O governo de Israel aprovou, neste domingo, recomendações feitas por um comitê apontado pelas próprias autoridades para aumentar a competição na economia local. As principais recomendações aprovadas incluem evitar legalmente que grandes empresas controlem ativos financeiros e reais.

NALU FERNANDES, Agencia Estado

22 de abril de 2012 | 10h49

Tal lei limitaria holdings, que possuem unidades com vendas superiores a 6 bilhões de shekels (US$ 1,62 bilhão) por ano, de controlarem empresas financeiras com ativos acima de 40 bilhões de shekels.

As recomendações também limitam a três anos as estruturas em pirâmide de companhias públicas. As empresas teriam permissão para vender ativos ou subsidiárias para cumprir o enquadramento à lei.

As recomendações aprovadas neste domingo vão passar pelo Parlamento local e se baseiam em relatório apresentado, em janeiro, por um comitê do governo que estudou a questão por dois anos. "A decisão de hoje é um outro passo para reduzir o custo de vida", afirmou o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, em comunicado.

Segundo o relatório, a competição é limitada em Israel, com poucas holdings controlando diversos setores da economia por meio de subsidiárias, citou o comitê. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Israelcompetição

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.