Israel e Mercosul fecham acordo de livre-comércio em Montevidéu

Israel e Mercosul vão assinar nasegunda-feira um acordo de livre-comércio, o primeiro do blococom um país de fora da América Latina. O acordo será assinado em Montevidéu por ministros deIsrael e da Argentina, Brasil, Uruguai e Paraguai --os membrosdo Mercosul--, informou nesta sexta-feira a Embaixada do Estadojudaico em Brasília. "Israel considera o acordo um importante passo para acriação de uma base de comércio com economias emergentesconhecidas como Bric (Brasil, Rússia, Índia e China)",acrescentou. O acerto chega em um momento em que a Venezuela espera queos Congressos do Brasil e Paraguai ratifiquem sua adesão aoMercosul como membro pleno. O presidente venezuelano, Hugo Chávez, que mantém umaestreita ligação com Irã, retirou no ano passado seu embaixadorde Israel e comparou as operações militares israelenses noLíbano com as matanças de Hitler. Um diplomata do Mercosul disse à Reuters, pedindoanonimato, que o acordo com Israel não deve ser visto como umamotivação política, e sim como uma grande oportunidade deampliar o comércio. O convênio Israel-Mercosul, que envolverá quase todo ocomércio bilateral, acontecerá na reunião semestral doMercosul, que começa na segunda-feira em Montevidéu. O comércio atual entre Israel e Mercosul é de 1,1 bilhão dedólares anuais. A Embaixada de Israel no Brasil indicou que os produtosindustrializados, agrícolas e alimentos produzidos no Mercosulvão ingressar no mercado israelense sem pagar taxasalfandegárias. O Mercosul e Israel haviam fechado acordo há dois anos paradar início às negociações. (Reportagem de Guido Nejamkis)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.