Itália cria fundo de estabilização de bancos

O governo da Itália aprovou uma lei de emergência que cria um fundo de estabilização que pode ser acessado por bancos italianos, caso eles enfrentem problemas de liquidez. O anúncio foi feito hoje pelo primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, durante entrevista coletiva à imprensa. "Nós fizemos isso porque precisávamos; todos os membros da União Européia concordaram que precisavam estar prontos para lidar com a situação", disse o ministro da Economia, Giulio Tremonti, durante a mesma entrevista, concedida após o Gabinete ter aprovado a lei. "Nós não acreditamos que precisaremos aplicar esta lei. Nós não acreditamos que haja algum banco italiano que precise ser salvo". Tremonti referiu-se à decisão tomada durante reunião de ministros de Finanças da UE - realizada segunda e terça-feira - na qual integrantes prometeram tomar medidas adequadas para dar suporte à confiança em seu sistema bancário e garantir a liquidez em situação de emergência. Depósitos O governo italiano informou ainda que dará garantias a depósitos de até 103 mil euros, medida que tem como objetivo restaurar a confiança no sistema financeiro em meio à crescente crise financeira global. A atual legislação já garante depósitos para essa quantia, mas apenas os primeiros 20 mil euros são cobertos pelo Estado - o restante é garantido pelos próprios bancos. A medida aprovada hoje faz do Estado o garantidor do volume total de 103 mil euros por correntista. Na Europa, também já elevaram as garantias os governos da Alemanha, Espanha, Suécia, Dinamarca e Portugal. As informações são da Dow Jones.

PRISCILA ARONE, Agencia Estado

08 Outubro 2008 | 21h54

Mais conteúdo sobre:
crise banco Itália

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.