finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Itália: limite de déficit deve ser respeitado em 2014

Cernobbio, Itália, 07/09/2013 - O ministro da Economia da Itália, Fabrizio Saccomanni, disse neste sábado que o país não pode se dar ao luxo de entrar no segundo semestre de 2014 com um procedimento de déficit excessivo da União Europeia. A Itália assumirá a presidência rotativa da UE no período.

AE, Agencia Estado

07 de setembro de 2013 | 11h01

O bloco lança o chamado Procedimento de Déficit Excessivo contra um Estado membro que ultrapassa um teto de déficit orçamental. A Comissão Europeia liberou a Itália do procedimento, que envolve fiscalização intensificada, no final de maio após empresas do país começarem a mostrar sinais de recuperação.

"Uma crise de governo... poderia ter como seu primeiro impacto um alargamento do spread, que por sua vez irá desacelerar o crescimento", disse Saccomanni, em uma entrevista à rede de TV Sky TG 24, durante conferência em Cernobbio, na Itália. Com mais tensões no mercado de títulos públicos, Saccomanni disse que seria mais difícil respeitar o limite de 3% para a relação dívida/PIB da União Europeia. "Não podemos nos dar ao luxo de chegar à presidência europeia com um procedimento por déficit excessivo. Pelo menos, eu não estou disposto a contribuir para isso", disse ele.

A frágil coalizão de governo da Itália está em risco de colapso após Silvio Berlusconi, líder do partido de centro-direita PDL, que apoia o governo de Itália, perdeu o último recurso contra a condenação por fraude fiscal em agosto. Berlusconi nega qualquer irregularidade. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
itáliadéficitUE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.