Itália reduz previsão de crescimento econômico até 2013

Governo italiano, porém, reafirmou compromisso de eliminar o déficit orçamentário em dois anos

Álvaro Campos, da Agência Estado,

22 de setembro de 2011 | 09h19

O governo da Itália divulgou hoje novas previsões sobre a economia do país até 2013, reduzindo fortemente as expectativas de crescimento. No entanto, o governo reafirmou o compromisso de eliminar o déficit orçamentário até 2013, registrando um pequeno superávit no ano seguinte.

De acordo com as novas projeções, o Produto Interno Bruto (PIB) italiano deve crescer 0,7% neste ano, 0,6% no ano que vem, 0,9% em 2013 e 1,2% em 2014. As previsões anteriores eram de expansão de 1,1% neste ano, 1,3% no ano que vem e 1,5% em 2013. Não havia ainda uma previsão para 2014.

A redução nas projeções já era esperada, devido a uma desaceleração na demanda externa e aos impactos na demanda interna do plano de austeridade de 54 bilhões de euros aprovado pelo Parlamento na semana passada.

O governo agora prevê que a dívida pública atinja 120% do PIB neste ano e depois caia para 113% em 2014. Já a dívida soberana em circulação deve chegar a 1,933 trilhão de euros em 2014, dos atuais 1,9 trilhão de euros, o que significa uma quantia muito baixa de novas emissões.

O governo italiano afirmou que o plano de austeridade também inclui algumas medidas para impulsionar o crescimento, mas tem sido pressionado a divulgar novos estímulos para a economia. Para Fabio Fois, economista do Barclays Capital, sem novas medidas de estímulo a Itália não conseguirá atingir suas metas fiscais, pois a desaceleração no crescimento vai reduzir a arrecadação de impostos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ItáliacrisePIBprevisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.