Itália terá de reestruturar dívida, diz RGE de Roubini

A Itália está passando do ponto em que não será possível voltar e vai ser forçada a gerenciar a reestruturação de sua dívida soberana no início de 2012, alertou a Roubini Global Economics (RGE), empresa de análise financeira do economista Nouriel Roubini. A RGE observou o recente aumento do rendimento (yield) dos bônus de dez anos da Itália, que ultrapassaram 7%, no dia 9, pela primeira vez desde a introdução do euro.

O Estado de S.Paulo

22 de novembro de 2011 | 03h07

"Até agora, nenhum país da zona do euro conseguiu recuperar a confiança do mercado uma vez que os rendimentos dos bônus romperam a marca de 7%. Grécia, Irlanda e Portugal solicitaram um resgate financeiro logo após ultrapassar esse porcentual", notou a RGE.

A empresa disse que o montante da ajuda necessária para Itália, com a inadequação das estratégias de resgate da zona do euro, praticamente exclui a possibilidade de um pacote viável para o país e provavelmente vai forçar uma reestruturação da dívida no início de 2012. "Não esperamos que a Itália seja capaz de reagir a tempo para combater o problema da dívida com um adequado processo de consolidação fiscal."

O economista Nouriel Roubini tem sido extremamente pessimista sobre as previsões para a Itália já faz algum tempo. / DOW JONES NEWSWIRES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.