Itália vende € 9,28 bi em bônus em leilão considerado bem sucedido

Resultado indica que os investidores continuam dispostos a financiar pelo menos um membro endividado da zona do euro

Danielle Chaves, da Agência Estado

28 de maio de 2010 | 08h55

O Tesouro da Itália vendeu 9,28 bilhões de euros (US$ 11,5 bilhões) em bônus em um leilão realizado sem dificuldades, indicando que os investidores continuam dispostos a financiar pelo menos um membro endividado da zona do euro.

O montante captado por meio de três emissões ficou levemente abaixo do volume máximo pretendido, de 9,5 bilhões de euros. Observadores do mercado disseram que a diferença não foi significativa especialmente por causa do tamanho grande do leilão e do yield oferecido.

Foram vendidos 3,8 bilhões de euros em bônus BTP para setembro de 2020, pouco menos que os 4 bilhões de euros pretendidos, com yield (retorno ao investidor) de 4,07%. Também foram vendidos 4 bilhões de euros em papéis BTP para junho de 2013, com yield de 2,35%, e 1,5 bilhão de euros em bônus CCT para março de 2017, com yield de 2,32%.

"O resultado total deverá dar suporte para os spreads de países da periferia da zona do euro em geral, já que não há muitas ofertas de bônus soberanos desses países previstas no futuro próximo", disse Wilson Chin, analista do ING. Chin acrescentou que os mercados provavelmente vão precisar ver um prolongado período de calmaria e resultados sólidos em outros leilões de países europeus periféricos antes de disparar um verdadeiro rali. As informações são da Dow Jones.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.