seu bolso

E-Investidor: O passo a passo para montar uma reserva de emergência

Italianos protestam contra medidas de austeridade

Dezenas de milhares de pessoas se uniram neste sábado em Roma a uma marcha organizada por um sindicato para protestar contra novas medidas de austeridade do governo de coalizão. O sindicato dos metalúrgicos Fiom disse que a manifestação tinha o objetivo de pedir "o direito ao trabalho, à formação e ao sistema de saúde". "Não podemos esperar mais", afirmou o secretário do Fiom, Maurizio Landini.

Agencia Estado

18 de maio de 2013 | 17h29

Ele disse que as condições econômicas desastrosas do país começaram com as decisões dos governos anteriores de Silvio Berlusconi e Mario Monti. Porém, a mensagem dele para o primeiro-ministro Enrico Letta era para "colocar os empregos de volta ao centro" do debate político. Os organizadores disseram que cerca de cem mail pessoas participaram da marcha no centro de Roma.

A taxa de desemprego na Itália atingiu 11,5% - a taxa chega a 38,4% entre jovens de 15 a 24 anos.

A agência nacional de estatísticas da Itália previu, na semana passada, que a economia do país vai encolher 1,4% este ano - rebaixando drasticamente sua previsão anterior, de contração de 0,5%.

Letta formou um governo de coalizão no mês passado após o país ficar à deriva por causa das inconclusivas eleições de fevereiro. Na semana passada, ele afirmou sobre os desafios que enfrentará: "Nunca disse que seriam fáceis. Pelo contrário, sei bem que são muito difíceis". As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Itáliaprotestosausteridadedesemprego

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.