Itamaraty lamenta taxa contra suco de laranja brasileiro nos EUA

Com dois dias de atraso, o Itamaraty manifestou-se oficialmente sobre a decisão do departamento de Comércio dos Estados Unidos de aplicar, preliminarmente, sobretaxas antidumping às importações de suco de laranja provenientes do Brasil.Em nota à imprensa, o Ministério das Relações Exteriores afirma que recebeu com "estranheza" a iniciativa de Washington. "O governo brasileiro considera lamentável que o produto brasileiro, reconhecido no mercado internacional como altamente competitivo, seja objeto de mais uma medida restritiva de comércio", diz o texto.Essa medida, segundo o Itamaraty, soma-se ao imposto de importação específico de US$ 418 por tonelada aplicado pelos Estados Unidos, o que já significa uma forte inibição às compras de suco de laranja brasileiro. De acordo com a nota, o governo brasileiro e o setor privado vão examinar com cuidado as condições e os procedimentos adotados na investigação de dumping do suco de laranja do Brasil, para verificar se o processo cumpriu as regras da Organização Mundial do Comércio (OMC) as medidas cabíveis.Por princípio, o direito antidumping somente pode ser aplicado se é constatado que o produto importado ingressou naquele país com preços mais baixos que os praticados no seu mercado de origem. Além disso, é absolutamente necessário provar que essa situação foi responsável por prejuízos comprovados ao setor concorrente local.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.