Chico Lelis/Estadão
Chico Lelis/Estadão

Itaú reduz taxa de crédito imobiliário residencial a 7,45%

Nova taxa mínima passa a valer a partir da terça-feira que vem, 1º de outubro, e é a primeira queda no setor desde o corte de 50 pontos da Selic na semana passada

Renato Jakitas, O Estado de S.Paulo

27 de setembro de 2019 | 15h32

O Itaú Unibanco anunciou nesta sexta-feira, 27, a redução da taxa de juros para crédito imobiliário de 8,1% mais a Taxa Referencial (TR), para 7,45%, além da Taxa Referencial, que hoje está zerada.

A nova taxa mínima passa a valer a partir da terça-feira que vem, dia 1º de outubro, para todas as linhas do banco - Sistema Financeiro da Habitação (SFH), Sistema Financeiro Imobiliário (SFI) e Carteira Hipotecária (CH).

O corte é o primeiro desde que o Comitê de Política Monetária (Copom) cortou 50 pontos da taxa de juros básica da economia, a Selic, na semana passada. Com a decisão, a Selic caiu 61,40% em um espaço de 24 meses - saindo de 14,25% para os atuais 5,50% ao ano.

Nesse contexto de queda, o crédito para habitação saiu de uma taxa de quase 11% ao ano em setembro de 2017 para 8,4% agora, de acordo com a média dos contratos dos cinco principais bancos capturada pela fintech Melhor Taxa. Antes da reunião do Copom da semana passada, a diferença entre essa taxa média dos financiamentos e a Selic era de 2,4 pontos porcentuais, considerada a menor da história. Agora, é de 2,9 pontos porcentuais. 

Rafael Sasso, da Melhor Taxa, já via desde a semana passada uma  pressão para um novo corte por parte dos bancos. Além do Corte do Itaú, ele espera por medidas semelhantes na concorrência. "Provavelmente vai ter mais queda de taxa rápido”, diz ele, que espera um movimento nos próximos dois ou três meses. 

De acordo com dados da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), o Itaú Unibanco figura na primeira posição de mercado entre os bancos privados no país em concessão de crédito imobiliário para pessoas físicas em 2019. A carteira total de crédito imobiliário do banco é de mais de R$ 49 bilhões, dos quais R$ 44 bilhões são de financiamentos para pessoas físicas. O líder entre as instituições financeiras em geral é a Caixa Econômica Federal.   

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.