Itaú repassará financiamentos do BNDES em energia

O banco Itaú irá repassar financiamentos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) no âmbito do Programa de Apoio a Projetos de Eficiência Energética (Proesco). Hoje, foi assinado um contrato nesse sentido pelos presidentes do BNDES, Luciano Coutinho, e do Itaú, Roberto Setubal, em São Paulo. Antes do Itaú, só o Banco do Brasil atuava em parceria com o BNDES nesse programa. Outras instituições privadas estão conversando com o banco de fomento sobre a possibilidade de atuarem no Proesco.O programa financia estudos, obras e equipamentos voltados ao combate ao desperdício e à racionalização do uso de energia de empresas públicas e privadas. O prazo de pagamento é de até seis anos, incluindo período de carência de no máximo dois anos e os juros se baseiam na Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP).Além das operações feitas somente pelo BNDES e das operações indiretas, em que o agente financeiro assume integralmente os riscos de crédito, o Proesco permite operações de risco compartilhado. Neste caso, o BNDES arca com até 80% do risco e a instituição financeira pelos 20% restantes. Mas o beneficiário tem um custo adicional de 3% ao ano. "Os agentes financeiros deverão, obrigatoriamente, exigir como garantia dos financiamentos a fiança dos controladores da empresa de serviços de conservação de energia e o penhor dos direitos creditórios decorrentes do contrato de prestação de serviços com o seu cliente", diz o BNDES, em nota sobre essa modalidade de risco compartilhado, que está sendo contratada pelo Itaú.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.