carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Itaú se une à Porto Seguro e busca liderança

Parceria em nova empresa deve garantir o topo do ranking nas áreas de seguros de automóveis e residências

Leandro Modé, O Estadao de S.Paulo

25 de agosto de 2009 | 00h00

Maior banco privado do País, o Itaú Unibanco deu ontem um passo importante para atingir a liderança de um segmento de mercado onde tradicionalmente fica atrás do Bradesco, seu principal concorrente. A instituição associou-se à seguradora Porto Seguro, que encabeça o ranking brasileiro na área de automóveis. Na sexta-feira, a Porto Seguro divulgara fato relevante no qual informava que, após meses de negociação, não havia chegado a um acordo com o Bradesco. O objetivo era firmar uma parceria semelhante à que foi fechada com o Itaú Unibanco. "Queríamos uma forma de controle sobre a operação de ramos elementares (como automóveis). Eles (Bradesco) queriam compartilhar (o controle). Nós não queríamos", explicou o presidente da Porto Seguro, Jayme Garfinkel. "O Itaú é mais democrático e aberto."Formalmente, o Itaú Unibanco não se tornou o líder em seguros porque, como frisaram os controladores do banco ao explicar o negócio, trata-se de uma associação nas áreas de seguros residenciais e de automóveis. A reorganização societária prevê a transferência total dos ativos e passivos da Itaú Unibanco Seguros de Automóvel e Residência para a Porto Seguro. A Porto, por sua vez, emitirá ações equivalentes a 30% do capital e as entregará ao Itaú Unibanco. A partir daí, os controladores das duas instituições constituirão nova sociedade, a Porto Seguro Itaú Unibanco Participações. A chamada Psiupar terá 70% da Porto Seguro. O resto estará no mercado, que, aliás, gostou do negócio: as ações da seguradora subiram 11,56% na Bolsa de Valores de São Paulo. As do Itaú Unibanco, 0,58%. Em resumo, pode-se dizer que o Itaú Unibanco terá 30% da "nova" Porto Seguro, os atuais controladores da seguradora, aproximadamente 40%, e os outros 30% estarão no mercado. Segundo o presidente do Itaú Unibanco, Roberto Setubal, a operação equivale a cerca de R$ 1,7 bilhão (30% do valor de mercado da Porto Seguro). "O Itaú Unibanco passou a ser um líder indireto do mercado de seguros", afirmou o analista de instituições financeiras da Corretora Planner, Pérsio Nogueira.Segundo Setubal, porém, "não dá para dizer" que o Itaú se tornou líder. "A Porto Seguro não é uma empresa controlada pelo Itaú Unibanco. Se você combinasse os dois grupos, seria uma conta diferente."Mesmo assim, o peso da área de seguros deve crescer nos resultados do Itaú Unibanco. No primeiro semestre, o segmento respondeu por 13,5% do lucro da instituição. No Bradesco, a participação ficou na casa de 35%. Setubal, Garfinkel e o presidente do Conselho de Administração do Itaú Unibanco, Pedro Moreira Salles, disseram que nada mudará para os clientes da Porto Seguro e do Itaú Unibanco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.