Itaucard: Nordeste liderou expansão de cartões no País

A região Nordeste liderou o aumento da circulação de cartões de crédito no País entre 2003 e o ano passado, segundo apontou pesquisa divulgada hoje pela Itaucard. De acordo com o levantamento, o crescimento do uso do meio do pagamento na região no período foi de 140,9%, enquanto a alta média no Brasil foi de 105,5%, com uma marca total de 92,9 milhões.A pesquisa "Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento" apontou ainda que na região Sudeste - que ainda concentra mais da metade dos plásticos do País - o crescimento entre 2003 e 2007 ficou em 94,3%, abaixo do desempenho do Sul (99,6%) e do Centro-Oeste (104,7%). No Norte, o aumento foi de 81,8%."Todas as regiões cresceram muito, mas o Nordeste puxou a média para cima", disse o diretor de Marketing de Cartões do Itaú, Fernando Chacon, reforçando que tal movimento foi responsável por redistribuir o faturamento da indústria nacional de cartões, que encerrou o ano passado em R$ 183,3 bilhões.Enquanto em 2003 concentrava-se no Sudeste 63% (ou R$ 55,5 bilhões) do faturamento dos cartões de crédito, hoje a participação da região está em 56,5% (ou R$ 103,5 bilhões). A queda em São Paulo, Rio, Minas Gerais e Espírito Santo deu lugar à expansão no Centro-Oeste (de 5,7% para 7,4% do total), no Nordeste (de 18,7% para 22,4%), no Norte (de 5,2% para 5,8%) e no Sul (7,3% para 8%).GastosApesar da alta expressiva na quantidade de plásticos, os nordestinos são os que menos gastam nas compras feitas com cartões de crédito. Seu gasto médio anual é de R$ 1.591, contra R$ 1.927 de quem vive na região Sul, R$ 1.979 no Norte e R$ 2.116 no Sudeste. Gastam mais os consumidores do Centro-Oeste: R$ 2.587 por ano. É nessa região que a participação da alta renda - pessoas que ganham acima de R$ 2,5 mil por mês - é mais predominante, chegando a 42,3% do faturamento da indústria. Isso se explica pelos "bons resultados do agronegócio" no local, segundo Chacon.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.