<i>The New York Times</i> pretende estreitar suas páginas e demitir

O jornal norte-americano The New York Times planeja reduzir o tamanho de seu jornal, deixando-o 3,8 centímetros (1,5 polegadas) mais estreito, e fechar sua operação de impressão em Edison, New Jersey, segundo revelaram funcionários da empresa na segunda-feira. As mudanças, que entrarão em vigor em abril de 2008, serão acompanhadas por um redesenho gradual do jornal e implicarão a extinção de 250 empregos associados à produção.Vários outros jornais americanos de tamanho padrão reduziram seu tamanho nos últimos anos e muitos estão planejando novas reduções para diminuir custos num momento em que sobem os preços do papel de imprensa e os jornais perdem leitores e anunciantes para a internet.O Times, que fez o anúncio na segunda-feira à noite às vésperas de seu relatório trimestral de resultados, anunciou também que sublocará sua planta em Edison e consolidará suas operações regionais de impressão em sua nova unidade em College Point, Queens.Essa consolidação representará uma redução de aproximadamente um terço dos 800 funcionários que integram a área de produção gráfica. A unidade de Edison, aberta em 1992, deve continuar imprimindo jornais até o segundo trimestre de 2008, quando uma nova impressora terá sido acrescentada a College Point. Esta unidade foi aberta em 1997.Corte de custosA companhia informou ainda que as mudanças economizarão cerca de U$ 42 milhões anuais - U$ 30 milhões com a consolidação da operação gráfica em College Point, e U$ 12 milhões com a redução do tamanho do jornal. Abandonar a unidade de Edison significa que a empresa poderá evitar um custo de U$ 50 milhões em melhoramentos fundamentais nessa unidade, embora terá de gastar cerca de U$ 150 milhões para combinar as unidades em College Point e comprar a nova impressora.A redução do tamanho do The Times implicará uma perda de 5% no espaço que o jornal dedica a notícias. Se o jornal reduzisse apenas o tamanho de suas páginas, ele perderia 11% desse espaço, mas Bill Keller, o editor executivo do jornal, disse que essa perda seria drástica demais, por isso o jornal acrescentará páginas para compensar em parte a redução do espaço."Esse é um número com o qual acho que podemos conviver com muito conforto", disse Keller sobre a redução de 5%, acrescentando que a redução do espaço noticioso exigirá uma edição mais rígida e a colocação de algumas notícias de forma condensada.Vários jornais grandes, entre eles o USA Today, The Los Angeles Times e The Washington Post - já tiveram seu tamanho reduzido, e outros, como The Wall Street Journal, estão planejando fazê-lo. "É doloroso ver o setor apertar o cinto", disse Keller. "Mas esta é uma maneira muito menos dolorosa de continuar assegurando nossa sobrevivência econômica do que cortar pessoal, ou fechar sucursais estrangeiras, ou reduzir nossas reportagens investigativas, ou diluir a sucursal de Washington."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.