Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Já são 56 os países que pararam de comprar carne do Brasil

Subiu para 56 o número de países que suspenderam integral ou parcialmente as importações de carne do Brasil em resposta aos focos de aftosa diagnosticados em 2005 no Mato Grosso do Sul e no Paraná. Hoje, Tailândia e Filipinas informaram à Secretaria de Relações Internacionais do Ministério da Agricultura que não importarão carnes brasileiras, com exceção da carne de frango. Na sexta-feira, a China informou o embargo ao produto nacional.No caso das Filipinas, o embargo se estende à importação de animais suscetíveis à febre aftosa (ovinos, caprinos, bovinos, bubalinos e suínos), seus produtos e subprodutos oriundos do estado do Mato Grosso do Sul. No ano passado, o Brasil exportou para as Filipinas aproximadamente 23,8 mil toneladas de carnes, vendas que renderam US$ 34 milhões. Deste total, US$ 1,1 milhão é relativo à exportação de carne de frango, que ficou de fora do embargo.A Tailândia embargou a importação de ovinos, caprinos, bovinos, bubalinos e suínos oriundos de todo o território nacional. O Brasil exportou um total de 114 toneladas de carne bovina industrializada e miúdos de suínos, o que gerou uma receita de US$ 91,7 mil, em 2005.Suspensão parcialPor outro lado, a Colômbia suspendeu parcialmente o embargo às importações de carne brasileira. A suspensão vigorava desde 20 de outubro do ano passado, poucos dias depois de confirmado o primeiro foco de febre aftosa no Mato Grosso do Sul. Posteriormente, um caso da doença foi diagnosticado no Paraná. A Colômbia havia embargado a importação de bovinos, suínos, ovinos e seus produtos oriundos de todo o País. A Secretaria de Relações Internacionais informou que o embargo está restrito agora apenas para o Mato Grosso do Sul e Paraná. No ano passado, o Brasil exportou 25 toneladas de carne suína "in natura" para a Colômbia, vendas que renderam US$ 58,6 mil.

Agencia Estado,

30 de janeiro de 2006 | 18h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.