Jaguar Land Rover inicia produção na China

Empresa controlada pela indiana Tata Motors aposta em emergentes para compensar queda nas vendas; grupo também terá unidade no Brasil

XANGAI, O Estado de S.Paulo

23 de outubro de 2014 | 02h06

A fabricante automotiva Jaguar Land Rover, parte do grupo indiano Tata Motors, iniciou ontem a produção de sua primeira fábrica localizada fora no Reino Unido. A unidade, aberta na cidade de Changshu, na região oriental da China, foi viabilizada graças a uma joint venture entre a Jaguar Land Rover e a chinesa Chery.

A "aventura" internacional da Jaguar Land Rover - um ícone britânico - vai continuar. A empresa vai aportar no Brasil até 2016. A unidade, a ser instalada na cidade de Itatiaia (RJ), deverá consumir investimentos de cerca de R$ 1 bilhão até 2020 para produzir exclusivamente automóveis da Land Rover.

Na China, as empresa deverá fabricar 130 mil unidades por ano, incluindo dois modelos Land Rober - Evoque e Freelander 2 -, que concentrarão 77 mil veículos. Além desses, a previsão é também fabricar mais 30 mil unidades anuais da Jaguar. Estão previstos ainda outros 23 mil carros ao ano de um carro que será desenvolvido em parceria com a Chery.

Segundo informou ontem a agência de notícias Xinhua, a localização da fábrica é estratégica. A cidade de Changshu fica a 90 quilômetros de Xangai, onde se encontra o maior porto de mercadorias de planeta.

O vice-presidente da joint venture, Zhu Gaohua, afirmou que a previsão é que a empresa desenvolva dez modelos conjuntamente nos próximos cinco anos, que poderão ser fabricados também fora da China. Um centro de pesquisa foi aberto junto com a fábrica.

O investimento na nova unidade é de US$ 1,78 bilhão. O nível de automatização será alto: a soldagem de peças, por exemplo, será majoritariamente feita por 308 robôs.

A inauguração da fábrica é a concretização de um projeto que começou a ganhar forma em março de 2012, quando a Jaguar Land Rover e a Chery anunciaram a criação da parceria. Este tipo de arranjo é comum para investidores estrangeiros na China, já que o país não permite a criação de projetos de capital 100% internacional. No caso da joint venture entre Jaguar Land Rover e Chery, a unidade tem participação de 50% de cada uma das partes.

A empresa de DNA britânico - hoje controlada pelo grupo indiano - espera que a parceria ajude a Jaguar e Land Rover a competir com outras marcas de alto padrão e de luxo já estabelecidas na China, especialmente Mercedes-Benz e Audi.

Do lado da Chery, o acordo foi uma oportunidade para impulsionar o status de sua marca na China e também no exterior a partir da venda de automóveis desenvolvidos pela entidade mista, que também produzirá motores. Fundada em 1997, a Chery produz automóveis e picapes e está presente atualmente em mais de 60 países.

Recuperação. A Jaguar Land Rover foi incorporada pela indiana Tata Motors em 2008. A estratégia da empresa com a entrada em mercados emergentes como China e Brasil é compensar a queda nas vendas nas nações desenvolvidas. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.