Adriano Machado/ Reuters
Adriano Machado/ Reuters

Bolsonaro quer definir logo novo comando da Petrobras; Márcio Weber e Sonia Villalobos ganham força

Os dois já são conselheiros e passaram pelo teste de governança da estatal; Caio Andrade, cotado para o cargo, sofre resistências pela falta de experiência na área

Adriana Fernandes, O Estado de S.Paulo

06 de abril de 2022 | 12h10

BRASÍLIA - Irritado, o presidente Jair Bolsonaro deu indicações de que pode fazer uma troca mais rápida de comando da Petrobras. O Estadão apurou que ganhou tração nesta quarta-feira, 6, a indicação do conselheiro da empresa Márcio Weber para a presidência da Petrobras e de Sonia Villalobos para o Conselho de Administração.

Os dois já são conselheiros e passaram pelo teste de governança da estatal, que na prática acabou inviabilizando os nomes de Adriano Pires e Rodolfo Landim. O secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, Caio Andrade, cotado para o cargo, sofre resistências pela falta de experiência na área. Um dos críticos é o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), cacique do centrão.

Márcio Weber é atual conselheiro da empresa. Foi membro da Diretoria de Serviços da Petrobras Internacional (Braspetro) e diretor da Petroserv S.A. Uma das vantagens é que ele pode “descer” do Conselho para a Diretoria Executiva. Já sendo conselheiro, ele poderia ser aprovado como presidente na reunião. Neste caso, contribui o fato de que os conselheiros já passaram pelo crivo da checagem exigida pelas regras de governança.

Nas sondagens, o pouco tempo para a tomada da decisão tem sido um empecilho para a definição dos nomes. O governo tem sido aconselhado por investidores e lideranças do setor a deixar por mais 40 dias o presidente da empresa, Joaquim Silva e Luna, no cargo a tempo de convocar uma nova assembleia. A posição do presidente e do ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, no entanto, é resolver o impasse logo. Em nota, o Ministério de Minas e Energia afirmou que trabalha com a realização da assembleia no dia 13, próxima quarta-feira. 

Bento vem recebendo críticas do mercado pela condução das negociações que vem trazendo desgaste para a empresa.  Sua assessoria informou apenas que o governo está definindo os profissionais que preencham o perfil para ocupar os cargos de presidente da Petrobras e o de presidente do Conselho de Administração da empresa. "Quando esses nomes forem definidos, eles serão devidamente informados", disse, em nota. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.