Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

James Murdoch renuncia a mais três cargos

James Murdoch, da News Corp., renunciou à diretoria de outros três conselhos de administração de empresas do grupo, no esforço para cortar laços com a divisão britânica de jornais da companhia, em meio a um escândalo de grampos telefônicos.

BLOOMBERG NEWS, O Estado de S.Paulo

27 de março de 2012 | 07h46

Em 21 de março, Murdoch saiu do conselho da Times Newspapers Holdings, entidade criada por seu pai, Rupert, para assegurar a independência editorial do Times quando ele adquiriu o jornal em 1981, segundo um documento encaminhado à Britain's Companies House. Ele renunciou também à diretoria da Newscorp Investments e da News International Publishers Limited, duas unidades da divisão britânica da News Corp.

Murdoch desistiu de vários postos influentes no momento em que parlamentares britânicos preparam um relatório sobre seu papel no escândalo de grampos telefônicos que abalou a News Corp. e acarretou o fechamento do tabloide News of the World no ano passado.

A casa de leilões Sotheby's comunicou em 16 de março que Murdoch sairá do seu conselho. Ele também renunciou do conselho da GlaxoSmithKline em janeiro e deixou de ser o presidente executivo da News Internacional, unidade britânica da News Corp., que publica o jornal Times, no mês passado.

A News Corp., cujos escritórios centrais ficam em Nova York, disse que Murdoch, de 39 anos, se concentrará em seu cargo principal como vice-presidente das operações internacionais de televisão da companhia. Mas Murdoch enfrenta também pedidos de investidores para sair do conselho da News Corp. e da presidência da empresa de TV paga British Sky Broadcasting Group. A News Corp não quis comentar a questão.

O futuro de Murdoch na BSkyB depende de um relatório que os parlamentares britânicos estão preparando sobre o escândalo dos grampos. O episódio levou a News Corp. a fechar o News of the World e desistir de sua oferta de 7,8 bilhões de libras (US$ 12,4 bilhões) pelo controle da BSkyB, a maior companhia de TV paga do Reino Unido.

O órgão britânico regulador da mídia, Ofcom, levará em consideração o relatório parlamentar quando avaliar se James Murdoch é "idôneo e competente" para ter uma licença de radiodifusão em nome da BSkyB./ TRADUÇÃO DE CELSO PACIORNIK

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.