Japão adia anúncio de medidas para sanear bancos

O governo japonês adiou a divulgação de um relatório importante que serviria de base para as medidas de saneamento do setor bancário do país, abalado por um grande volume de créditos podres. O adiamento deve-se à oposição ferrenha de membros do Partido Liberal Democrata (PLD), do próprio premier Junichiro Koizumi, que consideraram as medidas muito severas para os bancos. A força-tarefa comandada pelo ministro de Economia e responsável pela Agência de Serviços Financeiros, Heizo Takenaka, deveria divulgar hoje seu relatório sobre a questão dos créditos podres, mas o anúncio foi adiado e só deverá ocorrer na sexta-feira, de acordo com o secretário-geral do LDP, Taku Yamasaki. O atraso deverá causar novas decepcões para o mercado financeiro, que aguarda com ansiedade os detalhes das medidas que serão tomadas pelo governo para fazer frente ao mais urgente problema econômico do país.Segundo fontes do LDP afirmaram que o relatório de Takenaka sobre a situação do sistema bancário comercial e as propostas para acelerar a liquidação dos créditos não-pagos foi rechaçado pelos políticos mais influentes da legenda por razões ainda não divulgadas. O adiamento da divulgação ocorreu após o fechamento do mercado acionário de Tóquio. Na sessão regular, o Nikkei-225, referencial do pregão, caiu 3,2%, com os investidores manifestando preocupações sobre o pacote que seria divulgado pelo governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.