Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Japão alerta Europa a não esperar deflação para agir

O vice-primeiro-ministro do Japão, Taro Aso, alertou a Europa a não esperar muito para reagir contra a tendência de deflação, com base na experiência do seu próprio país.

MARKET NEWS INTERNATIONAL, Agencia Estado

12 de abril de 2014 | 18h25

Em relatório apresentado à liderança do Fundo Monetário Internacional (FMI), Aso afirmou que, apesar dos fortes sinais de recuperação econômica na Europa, "o risco de deflação deve continuar a ser cuidadosamente monitorado".

O Japão passou por um período de deflação nos últimos anos e só alcançou o crescimento positivo nos últimos quatro trimestres, com crescentes expectativas para a inflação, disse ele. "Também estamos fazendo progresso para alcançar a meta de estabilidade de preços de 2%", afirmou. A inflação anual no Japão está atualmente em 1,3%.

"Com base na nossa experiência, quando pressões deflacionárias tomam conta, é fácil cair em um ciclo vicioso, com as pessoas adiando consumo e investimentos, levando a novas pressões deflacionárias", alertou Aso. "O desejável é implementar políticas macroeconômicas agressivas antes de a economia entrar em deflação."

Ele também alertou que a redução de estímulos do Federal Reserve pode ter um efeito maior em países emergentes com grandes déficits em conta corrente, onde a inflação criou vulnerabilidades. Essas dificuldades, segundo ele, "precisam continuar sendo combatidas apropriadamente".

Tudo o que sabemos sobre:
JAPAOEUROPADEFLAÇÃO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.