Japão anuncia pacote de estímulo de US$ 10,8 bi

Anúncio foi feito depois que o Banco do Japão não conseguiu conter a [br]alta do iene com uma flexibilização de emergência da política monetária

, O Estado de S.Paulo

31 de agosto de 2010 | 00h00

TÓQUIO

O governo do Japão divulgou ontem o esboço de um novo pacote de estímulo à economia no total de 920 bilhões de ienes (US$ 10,861 bilhões), destinado a limitar o impacto negativo da valorização do iene sobre a economia e interromper a tendência de deflação.

O anúncio foi feito ontem para "dar a impressão de que as medidas econômicas e a flexibilização da política monetária aprovada pelo Banco do Japão (BOJ, o banco central do país) estão apropriadamente coordenadas", disse o ministro de Estado para a Política Fiscal e Econômica, Satoshi Arai, a jornalistas.

O plano inclui medidas como a criação de um comitê governamental para discutir formas de promover a expansão da economia e apoiar os jovens que procuram emprego, com o reforço da demanda em áreas de potencial crescimento, como cuidados infantis e atenção à saúde.

O governo vai implementar as novas medidas de estímulo até o fim de setembro, utilizando fundos de contingência dos orçamentos do ano fiscal anterior e do ano corrente, disse o ministro. As medidas serão executadas de forma a "enfatizar a rapidez", afirmou Arai. Os fundos de contingência são recursos emergenciais que não fazem parte do orçamento principal e o governo pode utilizar como quiser, embora depois tenha de buscar a aprovação dos gastos no Parlamento.

O governo "vai tomar medidas decisivas (sobre o mercado de câmbio) se necessário", diz o comunicado do ministério. O plano deve ser finalizado até o dia 10. Arai acrescentou que o governo pode estudar medidas adicionais se o iene continuar forte, a Bolsa de Tóquio continuar a cair e a deflação piorar.

O anúncio do pacote foi decidido depois que o Banco do Japão não conseguiu provocar queda definitiva do iene com uma flexibilização de emergência da política monetária. A medida aumentou a pressão sobre a direção do banco para fazer mais nos próximos dias, a fim de interromper a alta da moeda e fortalecer a economia. Por 8 votos a 1, o comitê de política monetária do BOJ aprovou mais 10 trilhões de ienes (US$ 117,98 bilhões) em empréstimos de seis meses para instituições financeiras, além dos 20 trilhões de ienes em empréstimos de três meses que já haviam sido oferecidos anteriormente.

Os políticos podem aumentar a pressão sobre o BOJ para afrouxar mais a política monetária na reunião do comitê da a próxima semana. As autoridades temem que a valorização do iene possa prejudicar a frágil recuperação econômica do Japão, tão dependente de exportações. O impacto econômico da decisão de ontem, que veio horas antes de uma reunião entre o presidente do BOJ, Masaaki Shirakawa, e o primeiro-ministro, Naoto Kan, será "perto de zero", disse o economista Richard Jerram, do Macquarie Bank. "É em grande parte uma charada", afirmou.

Kan saudou a expansão da linha de crédito de emergência do BOJ e Shirakawa disse que o primeiro-ministro não lhe fez nenhum pedido específico. /

DOW JONES NEWSWIRES

Incentivos

US$ 10,861 bi

é o valor do novo pacote de estímulo anunciado ontem para tentar conter a alta do iene US$ 117,98 bi foram aprovados ontem pelo Banco do Japão em empréstimos de seis meses às instituições financeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.