Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Japão anuncia pacote de reforma econômica

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, vai anunciar hoje novas reformas econômicas, algumas semanas depois de uma repentina queda no mercado de ações do país levantar dúvidas sobre o ambicioso programa de recuperação de seu governo.

TÓQUIO, O Estado de S.Paulo

05 de junho de 2013 | 02h06

Depois de um avanço recorde de mais de 80% desde meados de novembro, quando Abe iniciou sua campanha eleitoral, o mercado de ações japonês repentinamente perdeu força. Apenas nas duas últimas semanas o índice Nikkei caiu 15%.

O pacote de reforma estrutural será o terceiro e para muitos o mais importante do plano de revitalização do governo de Abe. Por meio da nova diretoria do Banco do Japão (BoJ), o governo já garantiu uma política monetária mais acomodatícia e adotou um programa de gastos extras para ajudar a sustentar o crescimento no curto prazo.

Embora a recente pressão sobre os mercados financeiros japoneses coloque os investidores no centro das preocupações do governo, a nova estratégia de crescimento também terá como alvo o eleitorado, já que no próximo mês haverá uma eleição para a Câmara Alta do Parlamento do país, que será muito importante para Abe recuperar o controle da Casa, perdido seis anos atrás.

Um elemento do novo plano, segundo fontes, será um relaxamento das regras sobre o varejo online de medicamentos, um movimento bastante combatido pelas farmácias com lojas físicas.

Outro destaque no plano será a criação de zonas econômicas especiais que ofereçam taxas de juros mais baixas e aliviem algumas regulamentações. Para atrair investimento estrangeiro direto, as novas zonas permitirão que médicos estrangeiros pratiquem medicina e que escolas estrangeiras ofereçam educação.

Infraestrutura. Outra medida provável é a venda de direitos para operação de instalações até agora públicas, como aeroportos locais, redes de abastecimento de água e rodovias, o que atrairá financiamento privado para a renovação da infraestrutura pública, segundo fontes do governo.

O novo plano também deverá incluir uma reforma da governança corporativa, para que as empresas japonesas possam recuperar a competitividade internacional.

Fontes do governo afirmaram anteriormente que o plano prevê que o Fundo de Investimento em Pensão do Governo será convocado a alocar uma parcela maior dos 112 trilhões de ienes (US$ 1,12 trilhão) que gerencia em ações e se afastar da atual forte dependência de bônus japoneses.

O fundo, que é o maior do mundo, atualmente tem uma meta de carteira de 67% em bônus e 11% em ações domésticas./ DOW JONES NEWSWIRES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.