Japão aplicará tarifa punitiva ao aço norte-americano

O Japão quer contra-atacar as medidas protecionistas do setor siderúrgico norte-americano. Para isso, o país asiático anunciou nesta segunda-feira que aplicará uma tarifa de 15% sobre o aço importado dos norte-americanos. A medida entrará em vigor a partir de 1º de setembro. O Ministério da Economia, Comércio e Indústria do Japão explicou que a nova tarifa incidirá sobre partes de aviões e outros produtos de aço vindos dos Estados Unidos e calcula-se que deverá arrecadar um volume próximo a US$ 51 milhõesEsta é a primeira vez que o Japão anuncia uma medida retaliatória aos produtos dos Estados Unidos, considerado um grande parceiro comercial dos japoneses. O ministro Shoichi Nakagawa disse em Tóquio que não havia mais chances de reduzir as barreiras de entrada dos produtos de aço do Japão nos Estados Unidos antes do fim do ano fiscal em 30 de setembro. Portanto, segundo ele, esta era a única alternativa que restava ao governo japonês. "Desta forma, o governo japonês decidiu que precisava adotar medidas mais efetivas de pressão contra os EUA e adotou a tarifa retaliatória", disse o ministro em comunicado.Autoridades japonesas explicaram que as sobretaxas não seriam determinadas se a emenda Byrd, uma norma antidumping dos EUA considerada ilegal pela Organização Mundial do Comércio (OMC), fosse revogada até 1º de setembro. A decisão do governo japonês acompanha medidas semelhantes adotadas pelos 25 membros da União Européia e pelo Canadá, que aplicaram tarifas punitivas de milhões de dólares contra produtos importados dos EUA em retaliação à emenda em 1º de maio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.