Japão dará dinheiro a contribuintes para estimular economia

É a segunda ampliação orçamentária para o ano fiscal 2008 de 4,79 trilhões de ienes

Efe,

27 de janeiro de 2009 | 04h41

O Parlamento japonês aprovou nesta terça-feira, 27, uma segunda ampliação orçamentária para o ano fiscal 2008 de 4,79 trilhões de ienes (US$ 54 bilhões), que inclui ajudas de US$ 132 aos contribuintes, informou a agência de notícias local Kyodo. A Câmara conseguiu aprovar a verba graças aos votos da coalizão de Governo, mas com a rejeição unânime dos partidos de oposição. O Senado, onde a oposição desfruta de maioria, havia rejeitado na segunda-feira o projeto de ampliação orçamentária devido ao desacordo que despertava o plano de repartição de cheques no valor de 2 trilhões de ienes (US$ 22,5 bilhões) aos contribuintes, cerca de US$ 132 por pessoa. Porém, as decisões da Câmara prevalecem sobre as do Senado, por isso que após a rejeição dos senadores e após um longo dia de deliberações, o projeto de lei foi aprovado de maneira automática. A revisão do orçamento aumenta pela segunda vez as contas do ano fiscal 2008 que termina em março e tem como objetivo reanimar a economia japonesa, especialmente o consumo privado e a atividade das pequenas empresas. No entanto, o plano do primeiro-ministro Taro Aso de devolver aos contribuintes 2 trilhões de ienes (US$ 20,6 bilhões) foi duramente criticado pela oposição, liderada pelo Partido Democrático. Segundo os parlamentares contrários ao plano citados pela agência "Kyodo", a medida não terá o mesmo efeito que teria se fosse canalizada em um pacote de investimentos públicos, por exemplo. O governo japonês tenta estimular uma economia em recessão através do consumo privado, principal componente do Produto Interno Bruto (PIB) junto ao comércio exterior.

Tudo o que sabemos sobre:
Japãocrise financeiracrise nos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.